Arquivo Coluna Florenza

 

18.08.2000 a 20.11.2001

____________________________________________________________________________________________

18/08/2000 - 1º DIA DE SITE "NO AR" - ´MÚSICA DE ABERTURA

ROMANA DELL'ANIMA - 41 DIAS

Bem, quero aqui aproveitar esta coluna inicialmente para agradecimentos e elogios :

1 - Para  Rosivaldo Barbosa Maciel ( Brasília ), principalmente pela grande amizade  e  contar hoje em minha criação com Romana e Sodon.

2 - Para o Aurélio que juntamente com o Rosivaldo, abriu as portas do seu  Allevamento para mim, quanto a Romana e

 Sodon.

3 - Para o Luiz Marra, pela amizade e acolhida calorosa em sua casa.

4 - Para a Soman, nas pessoas do Enrique Graziano, Marra, Daniel e Simone, que trabalham incessantemente para a

realização da 3ª exposição especializada da raça.

5 - Para o Allevamento Villa Setti, pelos investimentos feitos, trazendo cães de alto nível para o Brasil.

6 - Para o Marco Motta, um criador que, entre outros, produziu o fabuloso Bruno Montes de Calabria, e me apresentou os amigos de Brasília.

7-  Para o Enrique Graziano, " a mola mestra " da criação do mastino napoletano no Brasil, sempre compartilhando seus conhecimentos e experiências com os demais criadores.

8 - Para o Dutra que vem fazendo experiências incríveis em cruzamentos, com diversas linhas de sangue, viajando suas cadelas de norte a sul do Brasil.

9 - Para o Renato com certeza fará muito pela criação no nordeste, não deixando o Marco tão isolado por lá.

10 - Criadores que me receberam tão bem em suas casas :

10.1- do estado de São Paulo: Vito, Reginaldo, Henrique, Osmar e Dona Olga;

10.2-  criadores de Brasília:  Marcelo, José Carlos, Márcio e Nelson;

10.3 - criador de Barra Mansa - RJ,  Francisco Serpa.

10.3 -  outros criadores citados aqui e não citados (por lapso)que também me receberão em suas

residências de " braços abertos ".

O meu muito obrigado.

___________________________________________________________________________________

18 de agosto de 2.000 - Entrevista nº 1

Espaço destinado a  entrevistas ou opiniões de criadores ou amantes da raça, com espaço livre para  abordarem qualquer tema . Tudo o quer for respondido serão de única e inteira responsabilidade do entrevistado.  

Entrevistado : Rosivaldo Barbosa Maciel, Brasília – DF.

1  - Quando e porquê você começou a criar o Mastino Napoletano?

                      Amigo Guilherme, é um prazer participar desta abertura.

             desde que me entendo por gente, gosto de bichos e da natureza, em especial, de cães. Comecei

com o  "vira latas", amigos que jamais esquecerei, e gostaria de aproveitar este valioso espaço e a oportunidade que está me dando para homenagiá-los. Uma viralatinha a minha primeira cachorrinha,

chamada Bete (Betinha), a Suzi (Suzinha), o Max (Pastor Alemão), o Ravel que foi o meu primeiro mastino

 e todos os outros que passaram pela minha vida e que foram motivos de muitas alegrias, e deixaram muitas saudades.

            Como já disse, criei de tudo, mas achava que já tinha me definido com o Fila Brasileiro quando vi o primeiro mastino no final da década de 80. Me deparei diante daquela coisa assustadora e bonita ao mesmo tempo, que estava com um colega meu. Procurei saber sobre a raça, e fui informado que era proveniente da Itália e que haviam poucos exemplares no Brasil. Deste dia em diante não deixei mais de buscar informações, e passei anos procurando saber mais da raça, e quanto mais buscava, aumentava mais o desejo de

conseguir um, só que não como o primeiro que vi, mas como os exemplares que surgiram na Itália, depois em outros países como o Brasil e resto do mundo, e que deixaram uma grande contribuição, sendo que alguns destes foram tão importantes que serão eternamente vivos em nossa memória. 

       2  - O que mais admira nesta raça?

            Esta é uma raça que na minha opinião causa esse impacto e essa admiração pela aparência, mas ao aproximarmos descobrimos que esta é apenas uma das muitas qualidades que esta raça tem, a exemplo do temperamento, que não dá para comparar com nenhuma outra raça, e de sua história ao longo de milhares de anos que vale muito pesquisar, principalmente por aqueles que ainda não a conhecem.

       3  - Qual é hoje o seu principal objetivo na criação?

            O principal, é poder contribuir para o crescimento (correção de alguns defeitos que a raça carrega ao longo do tempo), divulgação e informação, me juntando aos que querem realmente fazer um bom trabalho em benefício da raça, para que possamos um dia tornar os nossos cães aqui do Brasil tão importantes quanto os que se tornaram verdadeiras lendas, mas com a marca Made in Brasil.

         4 - Na sua viagem a Itália, qual cão ou cães te chamaram mais a atenção?

             Eu gostaria de citar alguns, mas não só os que vi na viagem que fiz,  porque seria pouco, e eu não poderia deixar de citar alguns nomes, até para ilustrar melhor o que estou contando. Guaglione, Zero di Ponzano, Zeta di Ponzano, Rosco di Ponzando, Mosè, Campagnola della Grotta Azzurra, Hatrim della Grotta Azzurra, Frazier della Grotta Azzurra, Taison della Grotta Azzurra (pai e filho), Bruno de Paduano, Sansone (Baffone), Febla, Ombrone di Ponzano, Barone del Nolano, Sara della Grotta Azzurra, Etrusco, Tazio de Ponzano Rush, Carnera e outros.

         4.1 - Qual método  de criação deles, te chamou mais atenção em que aspecto?

              O método de criação é bem rústico, e o que me chamou mais a atenção, é que eles acasalam

animais muito mais pesados que os nossos com facilidade.

          4.2 - Em qual nível de criação estamos no Brasil comparado a Itália?

              O nível de criação no Brasil cresceu bastante, há um investimento muito alto por parte dos criadores,

 no que diz respeito a dedicação e desprendimento de recursos próprios para a aquisição de exemplares melhores, ao contrário da criação italiana que não tem um investimento financeiro alto em sua criação, mas contam com mais experiência, opções de cruzamentos, e muito mais cães, principalmente cadelas. Eu acho que a raça tende a crescer bastante nos próximos anos, pois temos cães melhores do que a anos atrás. Mais ainda estamos distantes da criação Italiana, apesar de já termos alguns cães do mesmo nível.

          5 - E o fabuloso Bruno Montes de Calábria, como está? O que tem a dizer para muitos fofoqueiros que diziam que o cachorro era estéril? O que eles estão dizendo agora?

             Graças a Deus ele vai bem, hoje está com quase 05 anos e realmente demorei um pouco para efetuar os cruzamentos, em função de não termos tido aqui em Brasília, cadelas com características que considero imprescindíveis, o que resultou no descontentamento de alguns aqui, possuidores dessas "cadelas", que em vez de Buscar a melhoria da raça, preferiram inventar essa grande mentira. Hoje o Bruno tem algumas ninhadas, e tenho ouvido bons comentários sobre seus filhotes, e tenho cada vez mais a certeza de que valeu esperar.

           6 - Bem, não poderia deixar de perguntar também sobre a Vênus, Filha de Tyson Della Grotta Azzurra, ela já cruzou alguma vez? Andam dizendo dela a mesma coisa que diziam do Bruno?

               A Vênus nunca cruzou, passou por três inseminações artificiais, o que não se pode afirmar se o problema de não ter tido cria, seria da cadela ou do método de inseminação, o que sabemos, é que ainda estamos engatinhando no que se refere a inseminação, por isso acho de uma irresponsabilidade muito grande daqueles que estão afirmando tal coisa, pois essas pessoas jamais viram ou fizeram qualquer tipo de exame em minha cadela, e deveriam se preocupar com a sua "criação", que não deve ser grande coisa, ao em vez de ficar preocupado com o cachorro dos outros.

           7 -  E a Somam, o que tem a dizer?

                A Somam foi a melhor coisa que aconteceu para o Mastino no Brasil, e está muito bem

representada pelo Enrique, que ao contrário de outros, tem dedicado o seu precioso tempo em prol desta

raça, trazendo informações, promovendo este encontro que sem dúvida tem acrescentado bastante, incentivando a nós

todos a buscarmos melhoria e a lutarmos com diguinidade na busca do bom cão, que é o que todo mundo deseja.

 Eu acho que a partir de agora com a Somam tendo associados em praticamente todas as regiões do país

 e cada um contribuindo de alguma forma, será possível desenvolver um bom trabalho.

           8 -  Faça suas considerações finais, aborde qualquer tema.

                                                                  A todos os Mastinaros, HOMENAGEM  a Dom Paulino Scotti  

                Que a humildade e honestidade deste homem, sirva de exemplo para todos nós criadores do

Mastino Napoletano, pois boa parte do somos ou temos na criação do mastino devemos a ele, que soube representar tão bem esta raça.

                Valeu Don Paolino, com certeza já escreveu sua página na história do mastino, e que todos nós criadores possamos honrar esta valiosa herança que você, o Piero e o Querci nos deixaram, e que sem

dúvida é a razão de muitos de nós.

                 Descanse em paz.

                 À você Guilherme, parabéns pela página, mais uma vez obrigado pela oportunidade, e gostaria de te

desejar boa sorte na sua criação, e acredito que você vai longe.

________________________________________________________________________________________________

30/08/2000 - "TERCEIRA SOMAN"

Os meus elogios  e agradecimentos vão para:

1 -  todos os mastinaros presentes na 3ª expo. especializada no último sábado em Jundiaí - SP, principalmente para os que levaram seus cães;

2 - para Luiza e Enrique Graziano, que organizaram, receberam e hospedaram no sítio, toda a galera de mastinaros,

dando um tratamento especial a todos, sem distinção.

3 - para a Soman, na pessoa do Enrique que brilhantemente vem conduzindo-a, melhorando a exposição especializada

 a cada ano.

4 - a todos os mastinaros que vem trabalhando seus cães e melhorando-os dia a dia.

_______________________________________________________________________________________________

02/09/2000 - 3ª SOMAN

Da esquerda para direita - Felicissímo Cardoso Neto (Canil Green Hill W. M.)

Eduardo Reis Parreira (Canil di Beggiato)

Rosivaldo Barbosa Maciel (Criador em Brasiília-DF)

Luiz Marra (Canile di Marra)

Guilherme Teixeira Junqueira (Allevamento Florenza)

________________________________________________________________________________________________

22 de setembro de 2.000 - Entrevista número 02

Espaço destinado a  entrevistas ou opiniões de criadores ou amantes da raça, com espaço livre para  abordarem qualquer tema . Tudo o quer for respondido serão de única e inteira responsabilidade do entrevistado.  

Entrevistado : Aurélio Passos criador desde 1.988 e  proprietário do Allevamento Dell’anima, Brasília – DF.

1 - Quando conheceu pela primeira vez o mastino napoletano ? Que cão conheceu primeiro? Em que ano começou a criar ?

         Eu devia ter mais ou menos 12 anos de idade quando tomei consciência da existência desta raça através de um

 livro que abordava todas as raças e adestramento de autoria de Piero Scanziani e fiquei completamente maluco com as

 fotos de Socrate di Ponzano  e Bice di Ponzano e com  um resumo do padrão e temperamento da raça.Naquela

época ( 1980 ) eu já criava Dobermann e comecei a procurar pelo mastino mas não tinha internet, não tinha literatura especializada, como fonte de consulta, apenas a Cães e Cia.Os primeiros cães que conheci pessoalmente ( 1988 ) foram comprados de São Paulo por um criador de Fila Brasileiro aqui em Brasília e nem de longe pareciam com os cães do livro.

O “criador me convenceu que somente com três anos é que o cão iria enrugar e ganhar massa”.Como havia uma ninhada disponível, comprei “o melhor macho“ que criei até os oito anos e que faleceu de problemas renais e sem nenhuma ruga!

         A partir desta má compra ( 1988 ), iniciei uma busca por tudo que existia de mastinos:livros, vídeos, me associei a

SAMN e contatei canis de todo Brasil, montei meu plantel tendo como base um reprodutor que comprei do canil Green Hills Weimastim. Um cão filho do Fedele, na época, o melhor cão no Brasil, na minha modesta opinião.Em 1995 importei meus primeiros cães italianos. 

2  - O que mais admira nesta raça, no aspecto físico e temperamento?

         A primeira paixão foi sua aparência pré-histórica, rugas, tamanho, força, etc..., mas criando e convivendo com o

 mastino é que me dei conta do caráter, fidelidade, amizade que este animal tem com seu dono e toda sua família. É sem

 sombra de dúvida o cão mais equilibrado e gentil que alguém possa confiar a guarda de seus bens e familiares.

 3 - Quando foi a Itália o que te chamou mais atenção na criação deles?

         A forma rústica e sem preocupações com a qual este cão é criado na Itália foi o que mais me chamou atenção e t

ambém a facilidade com que os cães pesados cruzam.Outra coisa que gostei é a forma com que as famílias italianas

preservam as linhas de sangue e o orgulho que tem de seus cães.

 4 - A quanto tempo faz inseminação artificial e qual o percentual de acerto alcançado?

         Já faço inseminação artificial a fresco a mais ou menos 8 anos com 50% de acerto, mas só de dois anos pra cá é que desenvolvi juntamente com o Rosivaldo um método eficaz de inseminações com 80% de acerto.   

5  - Dê alguma dica de sua criação, aos que estão começando a criar?   

         Hoje em dia é bem mais fácil criar o mastino.A dica que dou é ler muito e procurar animais de procedência e criadores respeitados. Procure a SOMAN  (0xx11 3361-9898 ou 0xx11 33615827) para informações destes criadores bem como livros, vídeos,  etc. No Brasil temos ótimos cães, com tipo, cabeça, osso, pele. É se informar e fazer a coisa certa!

   6 - Você que foi nas três exposições especializadas da raça, o que notou de uma para outra, número de cães, qualidade, organização e padrão de julgamento?

           Tanto no ano passado como neste ano, tivemos o segundo maior número de cães inscritos, o que só vem a mostrar o crescimento da raça no Brasil.Outro fator a ser considerado é o grande número de cães nacionais de excelente qualidade, mostrando a seriedade com os criadores daqui estão trabalhando. 

 6.1 - O que te chamou mais atenção na 3ª exposição especializada da raça, realizada dia 26 de agosto deste ano em Jundiaí ?

                   As exposições especializadas são ótimas oportunidades de se medir o nível da criação brasileira e serve também para os criadores se confraternizarem.

O Julgamento de uma exposição deste porte é sempre uma surpresa e até mesmo juizes italianos

entram em contradição, já que cada um tem suas preferências dentro do padrão da raça e nem sempre

ganha o cão que acreditamos ser o melhor.

   7 - Este espaço  é para suas considerações finais, aborde qualquer tema.

         Gostaria de agradecer a oportunidade de estar neste espaço tão concorrido para lhe desejar a melhor sorte.Peço

a todos os criadores de mastinos não filiados que se filiem à SOMAN pois sem ela as especializadas não seriam possíveis.

Meus agradecimentos pessoais a Enrique Graziano,pois sem ele a raça não seria o que é hoje no Brasil.   

          Aurélio, grato pela entrevista, como sempre suas palavras foram sensatas e ponderadas e irão ajudar muito  novos criadores na busca de conhecimentos sobre mastinos. Digo  sempre ao Rosivaldo o Aurélio tem o poder de dizer em

uma ou poucas palavras, muito ou as vezes tudo.

       Aproveito também  a oportunidade para novamente agradecer as preciosidades a mim confiadas ( Romana e Sodon ), e dizer que “ continuo satisfeito “. Até... Guilherme Teixeira Junqueira.

_____________________________________________________________________________________________

04.11.2000

O assunto que abordarei aqui nesta coluna hoje é desagradável, mais infelizmente nem tudo são " flores " na criação.

Crio cães a mais de 25 anos, o primeiro cão que ganhei e coloquei em pista foi um cão chamado Rex, da raça dálmata

quando eu tinha apenas 7 anos de idade.

Já vi muita barbaridade na criação de cães, maus criadores e maus compradores. Nesta  coluna, anterior falei sobre os

 maus criadores, nesta de hoje falarei dos maus compradores.

Acreditem se quiser a quantidade de maus compradores é muito grande. Dou o seguinte conselhos aos demais criadores

(se bem que se conselho fosse bom era vendido e não dado): 

1- Nunca parcele seus cães em nenhuma venda;

2 - Não façam negócios a longo prazo, por exemplo recebendo filhotes em troca de filhotes;

3- Mande sempre fotos ou fitas de vídeo do filhote que queira vender ao comprador, para que amanhã esteja isento da alegação que o filhote não era bom;

4- Desconfie daqueles que pulam de raça em raça;

5- Receba o valor total do filhote, caixa e frete antes de manda-lo, para não ficar se lamentando depois pela falta de

pagamento.

6- Abra a porta do seu canil para que o comprador veja o que comprou, antes de você enviar, agora se ele não quiser

ver o problema é dele, você fez a sua parte.

O que revolta qualquer criador sério, são os maus compradores que recebem fotos, vídeos do filhote (antes de receber

o filhote), dos pais, pedigrees sérios (sem adulteração), atestado de saúde do filhote, vacinas e vermífugos em dia e

alguns meses depois querem devolver o filhote e não cumprem com o pagamento acordado em dinheiro ou em filhotes,

ou nos dois casos juntos.

O que irrita bastante é certos " compradores "  que não cumprem o que foi combinado, ainda falam que não vão

cumprir e denigrem um cão ou criador sério (com conhecimento sobre a raça), é demais. Tem pessoas que totalmente

erradas são grosseiras e ofensivas. Já pensou o cara que mesmo totalmente errado ainda ofende os outros, isto é demais!!!

A VOCÊS MAUS COMPRADORES, FICA REGISTRADO AQUI MINHA INDIGUINAÇÃO,

MEU REPÚDIO e PROTESTO, espero nunca vender filhotes a vocês, por qualquer preço que seja, prezo muito

meus cães, e amigos criadores.

____________________________________________________________________________________________

19.11.2000

EXPERIMENTE :

HÁ MUITA SABEDORIA NA VIDA DE CÃO ...

  Nunca deixe passar a oportunidade de sair para um passeio.

Experimente a sensação do ar fresco e do vento na sua face, por puro prazer.

Quando alguém  que você ama se aproximar, se derreta em saudações cordiais.

Quando houver necessidade, pratique a obediência.

Deixe os outros saberem quando invadirem seu território.

Sempre que puder tire uma soneca e se espreguice antes de se levantar.

Corra, pule e brinque, diariamente.

Coma com gosto e entusiasmo, mas pare quando estiver satisfeito.

Seja sempre leal.

Nunca pretenda se algo que você não é.

Se o que você procura está enterrado, cave até encontrar.

Texto escrito por Marco Aurélio, Prof. em São Paulo.

  ___________________________________________________________________________________________

07.12.2000

Cães policiais contarão com equipamento à prova de balas

Da AFP
Em Santa Monica (EUA)

Alguns cães policiais de Santa Monica usarão colete à prova de balas como seus colegas humanos.

Os estudantes da Escola Carlthorpe apresentaram duas roupas à prova de balas ao Departamento de Cães Policiais de Los Angeles, durante uma cerimônia no

estabelecimento educacional, informaram porta-vozes da instituição nesta

terça-feira (5).

A porta-voz do Departamento, Mariana Gallegos, contou que os jovens juntaram dinheiro para as roupas com a venda de pão.

Santa Mônica tem cães policiais, mas o departamento não usa os cachorros em

situações perigosas, nas quais precisam estar protegidos das balas.

___________________________________________________________________

24/12/2000

Rosivaldo com BRUNO MONTES DE CALABRIA

É com grande pesar que damos a notícia da partida do Bruno Montes de Calabria, infelizmente hoje dia 24.12.2000, com 5 anos e quase três meses ( faria amanhã 25.12.2000, nasceu em 25.09.1.995),  Bruno nos deixou

de forma rápida e inesperada, ao que tudo indica teve um ataque cardíaco.

Fico muito a vontade para falar nele, pois apesar de ter vindo do Canil Montes de Calabria e ser de

propriedade do nosso grande amigo Rosivaldo de Brasília, tenho dois de seus frutos em minha casa Romana e Sodon. Bruno foi sem dúvida o mastino mais belo que conheci, em tudo era exagerado, ossatura, pele, largura de crânio, arqueamento de costela, tamanho e ainda se movimentava muito bem. Estar frente a frente com este "mostro", foi um

 privilégio para poucos, tive esta sorte por quatro vezes, em viagens a Brasília, aprendendo sobre o

mastino napoletano com os amigos Rosivaldo e Aurélio e conhecendo o amigo Marcelo, outro criador

que também tem a grande sorte de contar com filhos do Bruno em seu plantel.

Sentimos agora a dor da perda, pelo belíssimo exemplar que ele era, por sua amizade e seu temperamento

amigo e ao mesmo tempo de cão de guarda. Ele nos deixava acaricia-lo do lado de fora da casa por

vários minutos, a partir da hora que era colocado para dentro, impedia de forma implacável a nossa entrada

em seu território. Sabia perfeitamente diferenciar a rua do seu território, não importando se nos conhecia do

 lado de fora da casa.

É muito diferente a maneira de criamos os cães, são de dentro da nossa casa, eles não vieram adultos

e sim com poucas semanas de vida. Não são cuidados nem alimentados por funcionários, convivem o dia

a dia com família, daí o apego que temos por este molossos. 

Quem conheceu o Bruno pessoalmente, o considera imortal ele não era só um molosso era uma aberração

 da natureza, parecia um animal pré-histórico.

 Bruno hoje você deixa a terra, seus belíssimos frutos, e se torna uma lenda, daqui a muitos e muitos anos os criadores que te conheceram continuaram falando de você, e suas historias passarão de gerações em gerações. 

Ao grande amigo Rosivaldo,  não se despere, ele foi levado sem sofrimento, dignamente, sós os bons são levados assim.

Força Rosivaldo você tem a extensão da sua criação em vários locais, um destes locais é aqui em casa. 

Rosivaldo um grande abraço, que Deus te  conforte e trilhe  seus caminhos, quando ele fecha uma janela  logo  abre uma porta.

Guilherme Teixeira Junqueira.

____________________________________________________________________________________________

07.01.2001

Loucuras

Toda a história que for contada nesta "Coluna Loucuras",

será de inteira responsabilidade do criador que contou o caso.

 

  Bem nesta coluna contarei aos poucos algumas “ loucuras” dos amigos por mastinos. A primeira delas foi do nosso amigo Rosivaldo.

 Rosivaldo (Brasília)  cometeu a “ loucura” de vender seu carro para comprar uma cadela na Itália, imagine vocês a pressão

da família.

 Lembro-me muito bem quando estive pela primeira vez em sua casa, e ele me contou o caso , dizendo “ Gilza (sua esposa)

 me diz monte na Vênus e vá fazer compras no supermercado,” brincando” com ele”.

 Aí perguntei a ele, o que você diz a ela nessas horas?

“Digo, o carro na garagem não me dava nenhuma satisfação pessoal, agora quando abro a janela da sala e vejo Bruno e

 Vênus, sinto uma imensa alegria.

  Palavras de Rosivaldo “ Ter um mastino muito típico em casa não tem preço, não a dinheiro que pague a nossa satisfação pessoal”.

_________________________________________________________________________________________________

10.02.2001 - Loucuras

Toda a história que for contada nesta "Coluna Loucuras",

será de inteira responsabilidade do criador que contou o caso.

História de Marco Mota, criador proprietário do Canil Montes de Calábria – Recife – PE,

Parte 2 

Depois da compra de tantos cães, me caberia  agora cria-los,  que  considero o mais difícil, e no meu caso, foram  vários problemas, como:  viroses, jarretes, descalcificações,  afogamento e mais alguns  que eu não me recordo no momento.
                    Enfim os cães estavam adultos e veio o  primeiro cio, quando fomos fazer a monta,  o Argo ( meu  primeiro reprodutor ), não conseguia cruzar ( engatar ), foi uma dor de cabeça, até que eu resolvi  aprender a fazer inseminação

artificial;  pela primeira vez iria nascer uma ninhada que prometia muito ( Argo x Yuni ). Foram apenas quatro filhotes,

2 machos ( 1- cinza e um fulvo ) e duas fêmeas (  2- cinzas ), foi bom demais, com sessenta dias os filhotes estavam lindos, parecia um sonho, vendi os quatro e  parecia que tudo estava bem.

  Veio a inca ( a melhor fêmea que eu já vi em minha vida ). Cruzamos e os problemas começaram, o

parto não foi todo normal, após o quarto filhote fomos obrigados fazer cesariana, foram dez filhotes no

total  ( 8 fulvos e 2 cinzas ), naquele momento eu estava meio  desesperado,  os filhotes estavam morrendo, depois eu  descobri que a cadela tinha mastite ( eu ainda era inexperiente nestes assuntos ), e só restou uma filhota ( Bruna ),

que eu  segurei para mim ( linda ). Bruna foi, das minhas cadelas, a que mais ganhou exposições. 

   Inca jamais teve outra ninhada ( eu ainda não conhecia o Paulinho  ha ha ha ), e a Bruna só me deu

uma ninhada de dois filhotes ( Bruna x Giunone ), um eu estou criando e a Bruna morreu ( ca.). Meses

depois eu inseminei a Bela, nasceram 14 filhotes ( 3 fulvos, 2- mognos, - 6 pretos, - 3 cinzas ). Aquela

 ninhada me deixou super entusiasmado, coloquei propaganda na  Revista Cães e Cia, e como tinha  muita gente querendo filhotes, acabei não ficando com nenhum.  

    Nesta época eu conheci o Rosivaldo ( mas  só este assunto dá mais de um livro ), e para ele foi  o Bruno, que veio a

se tornar o que todo mundo sabe, nesta ninhada também se destacaram o Tauros ( Urbano ), a Orca ( Marchionate ),

a Chalana ( minha ), o Otelo ( Stefano ),etc. Com esta ninhada da bela eu sem nem saber estava me jogando para o

seleto rall dos bons criadores.
             O trabalho continua até hoje, só que hoje temos com quem dividir as angustias, os problemas e as  dificuldades,

pessoas como: Rosivaldo, Graziano, Aurélio, Guilherme, Setti, tem tornado a vida
de criadores bem mais fácil.
             Eu tenho um conselho para alguns criadores que estão começando, se você está querendo criar o mastino pelo

retorno financeiro que pode vir a dar, desista, pare, nem comece pois, você vai se  dar mau, muito mau.
             Para chegar a ser um bom criador destes cães você tem que ama-los, pois quem só quer criar pelo  retorno

 financeiro ou pelo status que dá, ser criador de mastino, vais se desiludir com os primeiros obstáculos e desistir no meio do caminho.
 pense que ao comprar um cão, você vai ter um amigo, protetor e protegido por uns oito anos, em média, e o arrependimento

 é a pior coisa que pode acontecer a um criador e a seu cão, que  não tem culpa nenhuma de problemas que ele possa ter, o

u vir a causar.
 Portanto srº novo criador pense bem, leia bastante, converse com os mais experientes, consulte os amigos e o clube especializado ( Soman ), ai sim depois de fazer tudo isto, e decidir pelo nosso Mastino Napoletano, tenha certeza que você estará fazendo a melhor escolha possível, e que esta ligação com a nossa tão estimada raça seja eterna, pelo menos

enquanto dure. Agora um último detalhe, antes de comprar um filhote, escute o sábio conselho do Setti, compre uma pá, a

gora não pode ser uma pequena e fraca, tem que ser das grandes.

 abraços,
 Marco Motta

_________________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________

15 de fevereiro de 2.001 - Entrevista número 03

Espaço destinado a  entrevistas ou opiniões de criadores ou amantes da raça, com espaço livre para  abordarem qualquer tema . Tudo o quer for respondido serão de única e inteira responsabilidade do entrevistado.  

Entrevistado, Tito, Rio de Janeiro - AFIXO DIZAION

 1 - A quanto tempo cria Mastino Napoletano e porquê?
      R - Ganhei meu primeiro Mastino em 1985, era um verdadeiro guardião.
      Crio a raça por paixão e paixão já dizia o poeta, não se explica. 

2 - O que mais admira nesta raça?
      R- A fidelidade do animal e a subjetividade que ela traz, bem como as pessoas envolvidas com a raça no Brasil é algo

que já não sei mais viver sem eles  (os cães e os amigos que eles me deram).
 
3 - Cite alguns cães nacionais que te impressionaram?
      R-  Bimbo - pelo fiel convívio, os títulos que conquistou (todos), por ter moralizado a raça nas pistas do rj e  por ter me iniciado como Mastinaro.
     Queste - em 1887 pesava mais de cem kilos.

 4 - Quais foram os cães internacionais (que estão no Brasil ou no mundo) que mais te chamaram  atenção ?
     
R- Guaglione pelo inicio, toscano pela genética, Fedele por sua importância para o Brasil. porem gostava muito

do Hatrim, Sansone (Bafone) Mosé 1 e 2, Alfonso, Febla, Sara, Bandito, etc.
 
5 – O que você achou da 3ª expo.especializada da raça realizada em Jundiaí em agosto do ano passado ?
     
R - O encontro com os amigos foi dos melhores, nossa parece que o que tem de bom para a raça no Brasil tem de

ter a mão do Graziano, quanto ao juiz foi uma decepção, "conseguiu" estragar o trabalho do Pallazo e do Lorenzo em

julgar animais com critério e uniformidade, acredito que o livro tenha sido escrito pela Sra. Rosa Nardele e nós aqui do

 Brasil não sabiamos, alias os bons comentários que fez, tratava-se da raça boxer.
 
6 - Dê alguma dica de sua criação para criadores que estão começando.
      R -  Calma é fundamental, não existe mágica nem formula e sim muito trabalho.
     Cuidado com os vendedores de cachorros.
     Acredite em sua intuição.
     Tenha um bom sangue na mão.
     Escute os antigos (estes conhecem atalhos).
     Cães ruins não registre, e adultos ruins não reproduza.  
 
7 - Fale sobre "linhas de sangue". Porquê às vezes se cruza dois cães excelentes é o resultado não é satisfatório?
     R -   Isto é complicado, para quem confia em um pedigree italiano. È melhor trabalhar com o que temos, pois hoje

no Brasil já possuímos todas as boas linhas para trabalho daqui para frente. Dois cães bons e ninhada ruim só existe

por falta de conhecimento genético.
 
8 - Explique para os leigos o que é raçador?
    
R – É aquele exemplar que transmite em seus filhotes as melhores características que buscamos na raça, nem sempre o melhor cão é o melhor reprodutor.

9 - Quais características devem ter o Mastino Napoletano ideal  na sua opinião?
    
R – Para ser Mastino de verdade, precisamos olhar e ver logo aquela peculiaridade que nosso molosso tem,

precisa ser forte, rústico, bom osso e nos deixar com dúvida se estamos no século XXI ou na pré história.
 
10 - Espaço para abordar suas considerações finais, aborde qualquer tema.
      R - Hoje nosso plantel encontra-se em plena aproximação do italiano, tem muita gente boa criando sério, nosso

 clube esta apenas começando e temos muito trabalho pela frente.
       O que me preocupa é alguns vendedores de cachorros sem critérios vendendo Mastinos barato e comprometendo

nosso trabalho de fixação de tipo e tamanho.
       Outro dia estava refletindo sob minhas amizades e sabe que as mais duradouras são de pessoas que conheci

através dos Mastinos.
       Tem um cantinho aqui no Rio de Janeiro de portas abertas aos Mastinaros e amigos que queiram conversar

sobre a raça.
        Um abraço a todos e nunca deixem Deus abandonar seus corações.

 _____________________________________________________________________________________________

20.01.2001 - UNIÃO

Caros amigos criadores, vamos nos unir em prol da raça no Brasil.
O que ganhamos em.
Escrever colunas em sites atacando outros criadores?
Colocar anúncios em revistas desmerecendo cães ?
Fofocar e falar mal de cães de outros criadores ?

Há várias maneiras de usar seu site com bom senso.
Divulgue seus cães, fale sobre a raça, mostre o que esta acontecendo no Brasil e no mundo, escreva sobre problemas

comuns que enfrentamos dia a dia na criação, dê sugestões positivas, em fim que os sites venham sempre para somar ou multiplicar e nunca a dividir.

Guilherme Teixeira Junqueira.

____________________________________________________________________________________________

13.01.2001 - Envenenamento

Na 2ª feira me deparei com um problema que jamais tinha passado,  acreditem tive esta felicidade por mais de 20 anos,

nunca tinha tido um cão envenenado.

 Tenho dois mastinos de “linhagem antiga”,  isto mesmo aqueles de fácil reprodução, de pouca pele e de uma eficiência

 tremenda na guarda. Meu cão chamado Átila, o cão de temperamento mais forte que conheci na vida, estava e ainda

esta envenenado, guardião implacável, tido como fera por muitos que o conheceram. Átila foi envenenado por veneno

de rato, não sei como foi, nunca usei este veneno. Fico pensando nas hipóteses: de ter mastigado algum rato envenenado

 (pode ter vindo pela rede de esgoto), ou de alguém ter jogado de propósito sobre o muro da minha construção,

e ele fica lá, guardando, quem sabe um dia a futura casa de minha família.

 O desespero da gente é muito grande, vendo o cão cambalear soltar muito sangue pela boca e nariz.

Levando o cão ao  veterinário, lendo sobre o assunto no decorrer da semana e o observando muito, pude chegar as algumas conclusões.

 Vocês sabiam que os envenenamentos de cães por veneno de roedores às vezes não matam?

Vocês sabiam que ao contrário do que muita gente pensa, é um dos venenos mais fáceis de serem combatidos, se

 detectados no início?

  Sintomas: hemorragia pela boca e nariz, tonturas, tosse seca e muita, muita, muita sede.

Tratamento Vitamina K (anti-hemorrágica), antitóxico (para o fígado), alimentação mesmo que forçada, soro no

 lugar da água e muita paciência pois a hemorragia interna dura vários dias, vai e volta.

Tem horas que acho que o risco já passou,  ele fica um dia sem hemorragia ( mesmo assim continue com os

 anti-hemorragicos), mais no dia seguinte a hemorragia interna volta com a força toda. Tenho fé que  escape desta,

ele é valente, rústico e muito forte(apesar da idade 8 anos e meio), se movimenta muito bem e coitado do ladrão que tiver coragem de enfrenta-lo cara a cara e não usar estes meios de gente covarde (se foi isto que aconteceu).

 A você Átila, muita força, acho que você sai desta !!!!  

Guilherme.

____________________________________________________________________________________________

25/01/2001

Graças a Deus, ao vigor físico do Atila e aos cuidados a tempo, desta vez ele se livrou da morte que parecia certa, c

om muita hemorragia interna, chegou a ficar, 4 dias sem hemorragia e depois ela voltou com tudo novamente, hoje já a 8

 dias se sangrar e se alimentando muito bem, acho  que o risco já passou e por enquanto não sei se foi lesado internamente,

 não a sintomas. O tratamento que usei esta detalhado abaixo, além disto sempre muita comida, fígado cru, fígado cozido,

cerca de 10 ovos cozidos ao dia, quando não queria comer, ia boca a baixo mesmo.

____________________________________________________________________________________________

1º/02/2001 -Loucuras

História de Marco Mota, criador proprietário do Canil Montes de Calábria – Recife – PE

Toda a história que for contada nesta "Coluna Loucuras",

será de inteira responsabilidade do criador que contou o caso.

Parte 1 

                                   Sou criador de mastinos desde de 1984 dc.,  e sempre tive  a idéia de ter qualidade em meu canil.

Algum tempo depois de iniciar a criação eu já sabia o que era um bom mastino, e tinha certeza que os filhotes que 

 comprava, não  chegavam nem perto do que ansiava.
                                  As dificuldades se acumulavam pois com o afastamento do srº Enrrico Furio Domenice da criação,

 nós criadores ( sonhadores e idealistas ), nos sentimos  órfãos  a mercê de alguns, mau caráter que ainda hoje rondam a cinófilia, como parasitas. Foi neste clima que a srª Raquel ( Canil Siege, talvez a única que se salvasse), foi a Itália e retornou com dois exemplares, um deles seria o impagável e insubstituível " Fedeli " (  de propriedade do Sr. Felicíssimo ), aquela possibilidade, me deixou meio inebriado e ansioso para realizar o  já antigo sonho, de importar um mastino napoletano,

de seu país de origem (Itália).  " o tempo passou "
                                    Um dia, bate a minha porta um cara se dizendo o maior criador de mastinos da Itália, quem era ele?

Era o srº Arenielo Salvatore, que me acenou com a possibilidade de ter um neto, de um cão de  já tinha visto em uma foto,

ele me deixou babando, era o Bruno de  Paduano (capa do Livro do Guido Vandoni, a bíblia dos mastinaros). Refleti e 

 não sábia o que fazer para compra-lo pois sempre fui de classe média ( média, média mesmo ), e não seria fácil conseguir

os U$ 3.600,00 ( três mil e seiscentos dólares americanos), que ele estava pedindo pelo filhote. Não é preciso dizer que

fiquei louco !!! Na época eu  tinha um fusca 1983, o  vendi imediatamente por U$ 2.000,00. Bem fiquei na seguinte

 situação, sem carro e ainda faltavam U$ 1.600,00 para complementar o pagamento de um cão que já havia sido comprado, vendi mais algumas coisa de menor valor  e paguei o filhote que chegou com 4  meses .      m-a-r-a-v-i-l-h-a há, há, há, há, há !!!!!!!!!!!!!!
Para quem pensava que a epopéia chegara ao fim, estavam redondamente enganados, eu já estava contaminado

por este vírus incurável e galopante (chamado de vírus dos mastinaros) que se multiplicava em progressão infinita.
O que fazer ? Precisava de uma fêmea, que só poderia ser importada. O Salvatore me ligava todos os dias oferecendo oportunidades  como ele
dizia " imperdíveis", eu já não tinha carro, nem bens de menor valor, só um
apartamento em Maceió – Alagoas, que tinha sido deixado de herança por meu pai na ocasião de sua morte,  e

ste foi vendido imediatamente  sem o consentimento de ninguém  da família ( até hoje sou chamado de louco e

irresponsável por ela).Como  estava com pressa, aceitei a 1ª oferta e o vendi.
Ai sim, com dinheiro na mão e sem experiência ( ingredientes perfeitos para
um criador deslumbrado fazer merda ),  fui mandando vir da Itália, um cão, após o outro, aquela altura a cegueira

já era total e  vieram, Yunes, Inca, Bela, Luciene, Hercules, Zeus, Jeová, Clara, etc. Vieram  12 filhotes no total,

alguns acertos, vários erros ( ô meu deus, porque não existiam os amigos de hoje naquela época para eu me aconselhar ),

assim eu aprendi do modo mais duro que se pode aprender, fiquei sem o pequeno patrimônio, mas com experiência

para dar e vender.


Algum tempo depois veio a 1ª ninhada destes cães, mas isto fica para uma
outra oportunidade...

_________________________________________________________________________________________________

 16.03.2.001 - Loucuras

História de Tito, Berenilton Costa, Rio de Janeiro, Criador proprietário do Canil Di Zaion.

oda a história que for contada nesta "Coluna Loucuras",

será de inteira responsabilidade do criador que contou o caso.

 " Em 1996 estava fazendo a campanha de um exemplar BIMBO-GHW
Balder, filho de Fedele, tínhamos ganhado tudo, faltando apenas uma exposição internacional.
            A Dra  Laura presidente do Kennel de Petrópolis me avisou que em Lima Duarte MG haveria uma exposição Internacional e que um juiz brasileiro que tinha dado Best Show para um mastino (Joni Petrovik).
            Estava sem camionete e fomos mesmo assim, eu um handler Bimbo e uma cadela bem inferior que levei apenas

 para fazer numero, todos apertados em um monza SLE. Realmente foi uma belíssima exposição tudo muito bem organizado, sendo que o juiz internacional deu o CACIB ao Bimbo, porem me alertou que a barbela e as rugas atrapalhava no

julgamento da cabeça, quanto ao juiz brasileiro deu p\ cadela que levei apenas p\ fazer numero, os outros cães que competiam eram muito inferiores.
            Acabou a exposição, e muito cansados voltamos para o Rio de Janeiro (+\-) 200Km por volta das 21h, o sono era terrível o handler roncava e fazia orquestra com os cães no banco de traz, e apesar do cansaço continuava dirigindo,

até que o sono me venceu na descida da serra de Petrópolis e capotamos com o carro.
            O handler ficou preso as ferragens a saiu com ajuda das pessoas, a cadela saiu em disparada mata a dentro,

fiquei desmaiado e o Bimbo ao meu lado, latindo (Talvez querendo me acordar) e me lambendo, não deixou ninguém

encostar em mim (nem o handler que o conhecia) enfim acordei e consegui sair do carro, o Bimbo saiu junto e mesmo

sem guia não saia do meu lado, correndo para o mato apenas quando o barulho das sirenes dos bombeiros o assustaram.
             Fui socorrido e passei a noite no hospital, fraturei o braço e tinha um grande galo na cabeça, minha família estava em desespero. O médico pela manhã fez uma outra consulta e disse que até aqui tudo bem, faltava apenas o resultado da ressonância da cabeça e alguns RX, porem que eu ficasse em absoluto repouso.
             Minha família saiu para tomar café, quando chegou um amigo também preocupado, falei, que bom você ter

chegado já estou de alta e só faltava sua carona, no meio do caminho, mesmo sendo chamado de maluco fomos ao

local do acidente tentar encontrar o BIMBO, era uma serra muito grande,  mata muito fechada. Depois de duas horas

no mato escutei aquele inconfundível latido, o encontrei em uma gruta de pedra na outra margem de um pequeno córrego

(Ai eu pude entender quando se fala que ao ver o mastino temos a impressão de estar  na pré-história) ele correu em minha direção e eu na direção dele, não posso afirmar se cachorro chora, mais acredito ter visto lagrimas em seus olhos, ele latia e girava em torno de tudo, como nunca o tinha visto (acredito ter sido um gesto de alegria), voltamos até o carro e deixei o BIMBO em casa (só eu sei o que escutei de minha esposa e parentes) voltei ao hospital e peguei no sono, sendo acordado

pelo médico, que com
o resultado dos exames viera para me dar alta, porem foi categórico ao dizer que o repouso foi fundamental.
             Cai na gargalhada e voltamos todos para casa. A cadela foi localizada duas semanas depois, por caiçaras locais.

Um abraço
do amigo Tito".

_________________________________________________________________________________________________

18.03.2001 - Temperamento

Bem nesta coluna hoje contarei, o "aperto" que passe ontem. Bem como sabem comecei a criar Mastinos em 1.993, tinha

e até hoje tenho dois cães de "origem antiga", isto é pouca pele, focinho estreito, mais rústicos e de poucos amigos (para não dizer só um, eu). Aqui em Uberaba, sempre tive "fama" de contar com cães de forte temperamento para guarda, para não

dizer feras, nunca gostei de "marionetes". Hoje penso que o cão ideal é aquele, dócil fora de casa e bravo em seu território,

afinal o Mastino deve ser um cão de guarda, nunca devemos nos esquecer disto.

Vamos ao acontecido, como disse anteriormente tenho dois cães de linhagem antiga  Átila e Lua, ficam em uma construção,

aqui perto de casa, como verdadeiros cães de guarda. Tive de levá-los de casa, quando nasceu minha querida filha Mayara. Tenho dois pensamentos sobre cães com crianças. O primeiro é que o cão desde filhote tem que conviver com a criança, i

sto é se acostumar desde novinho, com os entes da casa, a segunda nunca deixo cães sozinhos com minha filha, pois por

serem muito fortes, mesmo brincando podem derrubá-la e machucá-la.

Ontem fui a construção, tratar dos cães de manhã, estava molhando uma plantas, Lua ao meu lado e Átila também,

derrepente, ouvi o Átila rosnar, ele quase não late ou rosna, só com um motivo bem forte, olhei em minha volta e não o vi,

 pensei deve ter alguém mexendo em meu carro na rua ( estava próximo ao portão), corri até lá e não o vi, olhei e o portão estava aberto, "tremi nas bases", pensei já deve ter engolido alguém (Átila qualquer estranho, mesmo fora de seu território, perguntem ao amigo Rosivaldo, teve o prazer de conhecê-lo). Olhei para esquerda e para a direita não o ví, como a

tensão era grande, me descuidei da Lua, esta ficou em posição de ataque para uma pessoa que esta vindo em nossa

direção (cerca de 1 quarteirão), derrepente para minha surpresa, ouço um latido muito feroz. Olho para a Ford Corrier,

lá estava o Átila, solto dentro dela, já se reparando para pular e ir "buscar" o traunseunte. Segurei-o pelo pescoço, abri

o carro peguei uma guia e coloquei-o para dentro, em seguida busquei Lua. 


Guilherme Teixeira Junqueira. 

_________________________________________________________________________________________________
 

31/03/2001 - Guilherme com Sodon Dell'anima (10 meses)


_________________________________________________________________________________________________

02/04/2001

A semana passada fui a São Paulo reunir com amigos mastinaros e trocar experiência, foi um viagem muito rápida

cheguei sábado a tarde e voltei no dia seguinte. Infelizmente não pude rever inúmeros amigos criadores, São Paulo, não

é como minha querida Uberaba, onde em 20 minutos vamos a qualquer lugar,  aqui o dia rende e rende muito, já

em São Paulo o deslocamento é muito complicado e demorado (ainda mais com chuva e para mineiro do interior, que não conhece bem a cidade). A viagem tem de ser feita em partes. Me desculpem os amigos que deixei de visitar, na próxima vez, marcaremos com antecedência e trocaremos muitas idéias e experiências.

Bem, vou contar um pouco desta aventura, fui visitar o Allevamento Vercelli, do amigo Zé Carlos, ele esta com duas ninhadas, Barone de Castellacio x Vípera Villa Setti e Caravagio Villa Setti x Vulquella Villa Setti (Naninella).

O Allevamento Florenza fez uma ótima aquisição, uma bela fêmea negra de focinho trancado e cabeça muito larga.

Agradeço ao amigo Zé por confiar-me tamanha preciosidade. Em breve poderão acompanhar o crescimento dela no site.

Valeu Zé!!!!

Fui no Canille di Marra, do amigo Luiz Marra e pude constatar a bela  cabeça do Patzzo di Graziano, rugas grossas e bem posicionadas. Na casa do Marra, pude conhecer finalmente o carioca Renato Villarinho, e bater um papo com

Fernando Caram, Renato, Carol e Paulinho de Botucatu ( Rhavenna esta muito bonita, cabeça muito larga e com

posterior muito forte. Marra, mais uma vez grato pela acolhida!!!!!!!

Também, fui visitar o Fernando Caram, sua casa fica muito próxima a do Marra em Vargem Grande Paulista. Conheci de

 perto a Sherazade (Zaccara e típica), revi o Calígola Anima Fiera (ótima estrutura e movimentação), com encorpou e cresceu da última vez que o tinha visto na Expo. Da Soman em agosto de 2.000, veio muita ossatura. Por último vou falar do poderoso Nerone Villa Setti,  com ossatura e cabeça descomunais, muita tipicidade Nerone é simplesmente impressionante !!!!!!!!!!!

Hoje posso dizer sem dúvida, que Nerone o GORILA, foi uma ótima aquisição dos Allevamentos Florenza e Cuesta Mello Burini. É meus amigos Nerone fará cães com muita ossatura e tipicidade comigo e amigo Paulinho e também com criadores

 que queiram ossatura muito larga em seus filhotes. Meus elogios e agradecimentos vão ao Fernando Caram que cuidou e

cuidou muito bem do Nerone, o pelo parece um espelho, bilha demais! Vão também ao Gustavo Setti, quem íniciou esta s

aga (é também o nome de minha cadela negra Barone x Vípera), de cães descomunais, vindos do Alfonso Del Vitorialle, Gustavo valeu e valeu demais ter trazido o Alfonso para o Brasil, espero que Deus me dê tempo de trabalhar o Nerone e

seus descendente.

Graças aos amigos, hoje o Allevamento Florenza já conta com 04 grandes mastinos muita pele e ossatura, Romana

Dell’anima, Sodon Dell’anima, Vípera Vercelli e Nerone Villa Setti (em parceria com o Allevamento Cuesta Mello Burini)

. Buscamos sempre o molosso, haja visto citando apenas os pais dos nossos cães, eles tem tipicidade de sobra, são realmente

 monstros sagrados da raça, coincidência são todos negros.

In Memorian BRUNO MONTES DE CALABRIA, prop. Rosivaldo Barbosa Maciel;

In Memorian ALFONSO DEL VITORIALE, prop. Gustavo Setti ;

BARONE DI CASTELLACCIO, pro. Gustavo Setti.

_________________________________________________________________________________________________

08/04/2001 - Sagga Vercelli com Guilherme e Nina (Pincher)

_____________________________________________________________________________________________

09/04/2001

Como disse a semana passada, contarei como foi minha viagem de volta de São Paulo, saimos  16:00 hs., debaixo de muita chuva, estavam comigo na volta o irmão gêmeo do Marra, Nerone, Nicolau, Rhavenna e Saga, acreditem todos dentro de uma Ford Corrier. Dirigindo o irmão do Marra com seus quase 120kg, no banco do passageiro eu com uma mala e mochila nos pés e a Saga no colo, a carroceria super lotada com três caixas (sendo os tamanhos de 400lb, 500lb e 700lb), O Nicolau ( um São Bernardo Macho de pelo longo)  teve ser contorcionista para caber em uma caixa de 400lb, a Rhavenna muito bem instalada em uma caixa de 500lb e o Nerone comprimido em uma caixa de 700lb (acreditem ele é

 enorme).

Pegamos um congestionamento na Raposo Tavares (liga Vargem Grande Paulista a São Paulo), andamos 35km em cerca de 2horas e meia, com chuva e um engarrafamento terrível. Nerone na caixa atravessada no final da

carroceria, latia e muito, estranhando a acomodação, de repente  agitou-se muito começou a tentar sair da caixa e para minha surpressa, começou a  balançar e Ford Corrier com seu peso e força, mesmo carregada nesta condições,

o carro vibrava e vibrava muito. Como Nerone tem força!!!!!!

Saímos da Raposo Tavares, pegamos a Bandeirantes,  o irmão gêmeo do Marra, só falava que estava

 com fome. O Zé Carlos o apelidou de Mocotó. O molosso tinha almoçado as 15:30hs, uma pequena porção, cerca de um taxo de macarrão, as 18:00 hs., já estava ele jantando de novo, o cara não come, devora tudo!

Muita chuva e várias paradas para alimentar o mano gêmeo do Marra, chegamos por volta de 0:30 hs.

Em Uberaba retiramos primeiro Nerone (ele esta estressado, rosnando e com aparência de poucos amigos dentro da caixa. Carregamos a caixa cerca de 50 metros, o “Mocotó”, carregava a caixa pela entrada com as mãos na

gradinha da porta eu na parte fechada de trás, de repente Nerone começou a tentar sair da caixa, foi

um Deus nos acuda para segura-la, foi aí que o “Mocotó” disse, “olhe Guilherme, nossa amizade será a mesma, mais ainda que vá ter que ir embora a pé, não seguro esta caixa na parte da frente nem a pau, se este monstro sair

 ele me estraça-lha”, pensei e não tendo outra opção lhe disse-lhe pode deixar que eu seguro a caixa na frente, levamos até o canil. Já com a caixa dentro do canil, a questão era como abrir a porta sem levar uma dentada, virei a

caixa com a porta para o fundo da canil e abri levemente a porta Nerone rosnou a primeira vez, deixei a

 porta aberta e pensei a hora que tiver vontade ele sairá. Quando buscamos a Rhavenna

_________________________________________________________________________________________________

18.04.2001 - Nerone Villa Setti Alli 

Hoje responderei a muitos amigos criadores, o que perguntam sempre, porquê o Nerone?

Nerone pela sua rima labial belíssima  !

Nerone pela sua ossatura descomunal !

Nerone por suas patas enormes !

Nerone por ser filho direto de  Alfonso, cão muito típico!

Todo criador (ou quase todos), pensam em ter molossos em sua criação, é claro que o sonho é o molosso correto, lutarei sempre para fazê-los, podem ter certeza CORRETOS.

Nerone é um cão admirado e odiado por  muitos.

Vários e vários anos criei cães corretos, só que com pouca tipicidade, ossatura fina, estes cães não me satisfazem mais, crio mastinos hoje, para abrir a janela e ver animais pré-históricos no quintal. Claro que quero que corram, sirvam para a guarda,

 não sejam meramente decorativos.

Amigos, Nerone não é um produto final, e sim um belo animal a ser trabalhado, espero que passe suas   raras características,

 e que as fêmeas imponham seus aplumos. Genética não é matemática, já ví muitos cães teoricamente corretos, passarem defeitos, que carregam hereditariamente a milhares de anos e que apenas não se manifestaram neles. Li uma reportagem na

 Cães e Cia, em pesquisa feita nos E.U.A, que em pai, mãe e avôs não displásicos, ainda sim os filhotes tem 25% de chance

de terem algum grau de displasia.

Outro dia comentei com o Rosivaldo, é não tenho saída mesmo!

  Nerone x Romana, não trouxerem bons filhotes, muitos irão dizer a culpa é do Nerone, como o Guilherme e o Paulinho compraram um cão destes;

Já se na mesma  imaginária cruza trouxerem bons filhotes vão dizer a Romana conseguiu passar suas qualidades, é o mesmo exemplo do que bater em bêbado se bater, não fez nenhuma vantagem bater em bêbado, qualquer um bate, se apanhar,

 nossa apanhou de bêbado.

Se os dois cães tiverem saúde e conseguirem o cruzamento, os acertos e erros ficarão com os dois.

Nunca tive medo de desafios, costumo dizer quem tem medo do escuro não sai a noite.

Vamos aguardar o que vai dar, se Deus assim o quizer.

Um abraço a todos, Guilherme Junqueira.

_______________________________________________________________________________________________

  31.05.2.001- Loucuras

 Histórias de Eduardo Reis Pereira, Três Pontas - MG, Criador proprietário do Canil Beggiato.

Toda a história que for contada nesta "Coluna Loucuras",

será de inteira responsabilidade do criador que contou o caso.

    " Caro Guilherme, é um prazer participar da sua coluna "LOUCURAS.

   Me lembro bem, quando no inverno de 1997 a minha primeira cadela Sara estava em tratamento numa

clínica veterinária na cidade de Caxambu. Já fazia uns quinze dias que eu não a via, quando num domingo resolvi ir visita-la.

 Chegando lá encontrei a clínica fechada, mas o portão ao lado onde ficavam os cães estava aberto. O proprietário da clínica era um veterinário, que também criava Fila Brasileiro e Pastor Alemão, e deveria ter

por volta de uns quarenta cães que ficavam junto com os cães em tratamento. Eu chamei mas ninguém saiu para me atender.

 Eu estava ficando nervoso e chateado, mas resolvi que não sairia dali sem ver minha Sara. Apesar da insistência da minha esposa em não querer que eu entrasse, fui até o canil. Só que para minha frustração

todos os canis tinham a frente de alvenaria com portas fechadas que me impossibilitava ver os cães.

Não me dei por vencido e comecei a chama r a Sara. Foi quando, no meio de tantos latidos, reconheci um, meio que chorão, da minha querida cadela;, apesar de saber que se não fosse ela poderia me dar muito

 mal pois os Pastores eram treinados para ataque, não hesitei em abrir a porta e aí foi aquela festa, ela veio pulando e me lambendo, passamos algumas horas brincando e matando  saudades um do outro.

 Foi nesse dia que percebi que não tem limites para as loucuras, e nem barreiras que possam separar um homem de seu amado cão.

   Outro caso interessante foi quando estava viajando, com a Sara atrás no baú da fiorino, e fui parado em uma blitz policial. Os guardas ( eram dois ) pediram os documentos mas eu tinha esquecido o do carro na padaria. pediram para eu descer e abrir o baú para vistoria. foi quando se depararam com a Sara e ficaram maravilhados. Perguntaram de que raça era, qual a idade ( ela tinha uns 8 meses ) e começaram a ter um interesse além do normal. Percebi logo que eles queriam dinheiro, mas para piorar minha situação eu estava sem nenhum centavo na carteira, tinha apenas o talão de cheques. Com muito cuidado pedi para eles ver

o que podiam fazer. A resposta foi curta e grossa." VOCÊ SABE O TAMANHO DO SEU PROBLEMA,

AGORA, SEU CACHORRO É MUITO BONITINHO!!! ". Nessa hora eu pensei que fosse ter que entregar

a Sara. Foi quando me veio a idéia de fazer um cheque. Com muito receio perguntei se 50,00 estava bom

e se poderia ser em cheque pois não tinha nada em dinheiro. Eles ficaram meio desconfiados mas no final, com muita cara de pau, acabaram aceitando.

  Quando cheguei em casa e contei a história, ninguém acreditava na ousadia dos policiais. 

  Tenho até hoje o canhoto do cheque, e fiz questão de escrever no meu livro de caixa: " SUBORNO DE GUARDA ---------- 50,00 "  

  Um grande abraço

    Eduardo"

_________________________________________________________________________________________________

1º/06/2001 - Nerone Villa Setti Alli

_________________________________________________________________________________________________

03/06/2001 - Sagga Vercelli 3 meses

_________________________________________________________________________________________________

05/06/2001

Na foto Eduardo (Canil Beggiato), Enrique (Canil di Graziano) e Guilherme (Allevamento Florenza)

Local - Canil di Graziano

_______________________________________________________________________________________________

16/06/2001

Amigos mastinaros, realmente a raça esta crescendo e crescendo muito no Brasil, tenho visto excelentes cães e promissoras ninhadas de Norte a Sul do Brasil. Hoje os criadores não estão mais acomodados, viajam com suas cadelas para efetuarem bons cruzamentos, seja de carro ou avião, num país continental como o nosso felizmente distância não é mais problema. Os criadores procuram os melhores machos, ou os machos que são linhas de sangue que julgam ser compatíveis com suas cadelas ou mesmo seu cães, para efetuarem o cruzamento.

 A tempos atrás existia um outro grande problema além da distância, que era o acerto entre o dono do macho e o dono da fêmea. O dono da fêmea, não queria pagar a monta, pois pensava que se o cruzamento não vinga-se, o gasto teria sido

em vão, já que o macho que cobriu sua cadela  já tinha filhotes nascidos, então era fértil, pensava também será que criador

 dono do macho vai realmente cruzar com o macho "B", ou vai dizer que cruzou com "B" sendo que na verdade cruzou com

"C" (cão o qual não foi acertado o cruzamento). Com as dificuldades financeiras que todos vivemos, propunha dar 1 ou 2 filhotes em pagamento da cobertura, por outro lado o dono do macho, pensava assim, se cruzar para receber filhotes, o dono

 da fêmea, pode fazer muitas falcatruas como por exemplo, dizer que a cadela não emprenhou ( e registrar os filhotes em

 outra ninhada), falar que nasceram "x" sendo que na verdade nasceram "Y" (para entregar só um filhote), esconder o(s)

melhor(es),

da ninhada (quando for retirar o(s) filhote(s), verá somente parte da ninhada e não levará os possíveis melhores filhotes da ninhada).

Há também muita fofoca e pessoas sem caráter na criação, que envenenam os criadores uns contra os outros,  e outros

que são capazes de fazer estes tipos de falcatruas citadas no parágrafo anterior. 

Hoje DNA, não é mais tabú, o exemplo foi dado pelo Allevamento Villa Setti, sendo precursor na raça deste tipo de exame

 no Brasil, portanto os donos de machos  e donos de fêmeas tem de "andar na linha". 

Penso que realmente a melhor forma de cruzamento é o dono da fêmea, pagar ao dono do macho a cobertura, não vinculando filhotes, assim o dono do macho estará garantido contra maus criadores donos de fêmeas.

 Por outro lado os donos das fêmeas, penso que devam pagar, com cheque pré-datado, para ser descontando no

 momento em que se tiver certeza da prenhes  da cadela. Isto tudo deve ser feito com contrato assinado pelos interessados

 e com duas testemunhas, esclarecendo no contrato, que se a fêmea não prenhar o dono da fêmea terá outro cruzamento

 com o mesmo macho, um filhote do outro criador ou o cruzamento de uma outra cadela (julgando que a primeira) tenha problema reprodutivo.

Um abraço, a todos os criadores Guilherme Teixeira Junqueira

_____________________________________________________________________________________________

CRUZAMENTOS ??? (02.07.2001)

 O que é o melhor cruzamento? 

 É melhor fazer cruzamento fechado (entre parentes)?

 È melhor cruzar cães de características semelhantes?

 O que se busca principalmente nos cruzamentos?

 Qual a característica mais difícil em se alcançar nos cruzamentos de mastinos, posterior, dorso, ossatura larga,

 

 muita pele,

fortes marcações, focinho curto e largo, movimentação ou outras?

O que podemos obter em um cruzamento defeito x qualidade, isto é somar o que a de melhor em um cão e o

de melhor no outro? 

Dois belos mastinos sempre fazem, belos filhotes?

 Um belo Martino e um mastino razoável o mesmo ruim, poderão fazer belos mastinos?

 É verdade que cães consangüíneos transmitem mais suas características?

 O que é melhor a “meia cruza” ou a inseminação?

 Quantos cruzamentos são necessários para emprenhar cadelas?

 Quanto mais cruzamentos, mais filhotes? 

Quantos mastinos de peso cruzam literalmente sozinhos hoje no Brasil?

 Os nossos cães estão perdendo sua capacidade de reproduzir sozinhos, como desde os primórdios tempos,

a natureza se encarregava de tudo?

 Porquê a inseminação artificial em cães, com sêmen congelado caminha a passos tão pequenos no Brasil?

Porquê cadelas ditas absurdas tem dificuldade em reproduzir (salvo é claro algumas exceções)?

 Até que ponto o exame de progesterona e a citologia vaginal, são eficazes para se detectar o melhor momento

de fertilidade?

 Qual o dia ideal para o cruzamento, isto é quantos dias de sangramento da cadela, estará ovulando? 

Quando a cadela “dobra o rabo” ela esta ovulando?

 É verdade que trazer sêmen congelado de cão em avião, corre-se o risco o sêmen perder a fertilidade? 

 O estress de uma longa viagem de avião pode atrapalhar o cio da cadela, evitando sua prenhes? 

Em cruzamento de vários machos com uma mesma cadela, podem nascer filhotes de mais de um pai?

 A CBKC reconhece DNA?

 A CBKC reconhece em uma mesma ninhada pais diferentes?

 A CBKC reconhece sêmen congelado? 

Caros amigos criadores, quero que passem suas experiências, sobre reprodução nesta página, ela ficará aberta, a todos

que queira dar uma palavra sobre algum dos tópico acima, ou sobre reprodução canina. Os comentários serão mostrados

 na integra nesta página, ficando os autores responsáveis pelos dizeres.

 Um abraço, a todos Guilherme Junqueira.

_____________________________________________________________________________________________

02 de julho de 2.001  - Entrevista número 04

Espaço destinado a  entrevistas ou opiniões de criadores ou amantes da raça, com espaço

livre para  abordarem qualquer tema . Tudo o quer for respondido será de única e inteira responsabilidade do entrevistado.  

Entrevistado, Júnior, Foz do Iguaçu - PR, Criador proprietário do Canil Della Foppa

1 - Quando e porquê começou a criar Mastino Napoletano?
   R- Comecei a criar mastino a uns 4 anos ,que me
 chamou atenção foi seu tamanho avantajado seu carinho , amor para com o dono e crianças .

  2- Qual a(s) diferença(s), que você vê nos Mastinos em relação a outros cães?

   R - O mastino é muito diferente traz uma historia milenar , seu amor para quem convive com ele é D+,seu posicionamento em função guarda é perfeito, quase não late  raramente o faz. Mas se o intruso vier a entrar com certeza não  sairá sem danos;  somente quem convive com o mastino sabe que são inúmeras suas qualidades.

  3 - Você que esta tão próximo ao Paraguai, como anda a criação por lá, o que você tem visto em destaque nos nossos países vizinhos?

 R-  Como nos buscamos cada dia mais informações nossos vizinhos  também . Com a internet as distâncias ficaram muito curtas com isso , o aperfeiçoamento e investimento na raça pelos amigos latinos cada dia é maior.

  4 - Descreva o seu plantel, para que os criadores, possam saber o quanto a criação esta crescendo por aí.

    R- hoje estamos trabalhando com Petrina di Graziano(melhor mastino Ranking Paraguay 2000),

Anastacia di Eracleia (filha de Barone del Castellaccio), Rebecca Dellanima(filha de Bruno montes de

 Calabria)e mais 3 filhotes , um macho com 6 meses e pesando mais de 60 kg ,outra com 3 meses e

pesando 39 kg todos com uma ótima estrutura nada de achinelamento, muita tipicidade, uma boa ossatura.Todos exemplares contam com ótimas linhas de sangue e grandes aberrações em seus

Pedigree , cães que fizeram e fazem historia pelo mundo mastinaro, esperamos que com todas estas

 linhas reunidas possam com a GRAÇA DE DEUS num futuro próximo ter um mastino ideal.

  5 - Você estará presente na Soman este ano para que os outros criadores possam conhece-lo, levará

cães?

   R- Se Deus quiser estarei por lá . Quanto aos cães estamos trabalhando para poder representar bem

nosso allevamento.

  6 - Como estão os filhotes, do Urco Del'ania com Petrina di Graziano, dizem que tem ossatura muito

 larga?

    R- Graças a Deus estão bem; São ainda filhotes como tal uma caixinha de surpresa, mas conta com

 ossatura muito larga ,ótima estrutura , tipicidade vem com sobra. ;Fomos muito felizes na ninhada e com certeza quem adquirir  exemplares desta ninhada também.

  7 - Quais novidades tem em termo de alimentação de cães por aí? Haja visto que a cultura Brasil,

Paraguai e Argentina estão presentes aí em Foz do Iguaçu?

   Aqui trabalhamos quase que exclusivamente com Eukanuba e Pro Plan e alguns predicados pessoais.

  8 - Quais os cães que te impressionam mais? Qual seu objetivo na criação? Que características pretende buscar em suas ninhadas?

   *Cães que mais me impressionam: -Pepinielo dello Stradone,Brigante e Barone del Castellaccio,

Nelson San Basile, Nash San Basile, Neron San Basile,Soberano Villa Setti , Venus Basilicata,Romana dellanima.....

  *Objetivo da minha criação é reproduzir   estas formosas criaturas que Deus o fez , com o maior aperfeiçoamento possível .

  *As características as quais eu busco são: um mastino com muita ossatura , tipicidade ,boa estrutura estes são os itens que busco para que se  façam presentes em ninhadas.

  9 -  Espaço para suas considerações finais, aborde qualquer tema.

  CARO AMIGOS MASTINAROS FAÇAM O MELHOR ,COM AMOR , DEDICAÇÃO , NÃO PENSEM EM

SEUS ANIMAIS COMO APENAS UM OBJETO DE SATISFAÇÃO PESSOAL E SIM COMO UM GRANDE COMPANHEIRO.UM AMIGO!!!!!

  MUITOS FALARÃO SEREM SEUS AMIGOS ,MAS POUCOS SERÃO.

SER AMIGO É SABER QUE OUTRO TAMBEM TEM  DEFEITOS, MAS  NÃO APOIA-LOS E SIM

MOSTRAR-LHES A SAÍDA PARA SEUS ERROS.

FIQUEM NA PAZ E FELICIDADE NA CRIAÇÃO PARA TODOS.

  ESPERO PODER TER TE AJUDADO GUILHERME FOI UMA GRANDE SATISFAÇÃO PODER TE

RESPONDIDO , CASO PRECISAR DE ALGUMA COISA É SÓ DIZER.

 Júnior, grato pela entrevista, que você possa sempre crescer na sua criação.

Um abraço, a todos Guilherme Junqueira.

_________________________________________________________________________________________________

05/09/2001

Nerone Villa Setti x Romana Dell'anima

_________________________________________________________________________________________________

09 de agosto de 2.001  - Entrevista número 05

Espaço destinado a  entrevistas ou opiniões de criadores ou amantes da raça, com espaço

livre para  abordarem qualquer tema . Tudo o quer for respondido será de única e inteira responsabilidade do entrevistado.  

Entrevistado, Enrique Graziano, São Paulo - SP, Criador proprietário do Canil Di

Graziano e atual Presidente Da Soman.

  1-     Quando, como e porquê começou a criar Mastino Napoletano?

R- Sou de uma família de Italianos que cresceram numa região da Itália ( Nápoles ) muito pobre , que sofria a ameaça de uma grande guerra , e que depois tornou-se a Segunda Guerra Mundial.

Meus tios trabalhavam na lavoura , e como não tinham condições de comprarem animais de grande porte para ajuda-los no trabalho árduo do campo , possuíam alguns Cane’e Presa que os ajudavam puxando carroças cheias de verduras e legumes. Serviço este que deveria ser feito por um boi ou burro.

Nas horas livres , era comum entre todos aqueles pequenos produtores que se disputasse qual era o melhor , o mais forte , o mais bonito ,etc...

Assim nasceu em mim um grande amor por aqueles cães que ajudaram minha família naquela época muito difícil. Cresci

ouvindo historias de como eram valentes aqueles cães , de como eram grandes e fieis aos donos , e pouco a pouco ,

sem saber fui me apaixonando por aqueles cães , sem mesmo nunca tê-los visto.

Um belo dia , estava eu folheando uma revista cinófila quando ,meu tio ao meu lado me disse com um ar de espanto  : 

Este é o Cane’e Presa , em seu dialeto Napoletano.  Quando vi o nome da raça vi que se chamava Mastim Napolitano

 e daí comecei a contactar os criadores daquela época para informar-me mais sobre a raça.  Passaram-se mais de 25 anos

 e até hoje continuo ouvindo as mesmas historias que emocionam e quando ditas em família , não é difícil ver algumas lágrimas caírem sobre o rosto de meus tios.

  2-     Em todos estes anos, qual for sua maior alegria e decepção na criação, se é que é possível enumerar apenas uma

 de cada?

R - Alegria : é só olhar o nível da criação cada vez melhor.  Animais cada vez mais belos em mãos de particulares.

Decepção : é ver criadores que acham que a raça é só peso ou ruga. Uns ignorantes totais.

CENSURADA A PERGUNTA 3  NÃO FOI COLOCADA NO AR.

3-     Vamos falar da SOMAN, entidade a qual preside com entusiasmo e dedicação.

R-         Em que ano a SOMAN foi fundada? Qual a nova diretoria da SOMAN, quais as funções de cada um?

Que  planos vocês tem para a  SOMAN  este ano? Qual local, data e juizes da expo deste ano?

  4 – Enrique, sendo você um criador muito experiente, de vivência em praticamente todos as grandes criações

italianas, em qual nível esta a criação no Brasil, comparada a espanhola, francesa e principalmente a italiana?

R- Em comparação à espanhola e francesa , não estamos maus. Existe uma vantagem em favor deles pela

proximidade com a Itália , que auxilia muito na compra de filhotes e principalmente na escolha de reprodutores

para montas

Se falarmos em comparação com a criação Italiana , a historia já é outra. Estamos com cães mais bem construídos e harmônicos , mas nos falta um pouco mais de massa e ossatura.

  5-     Como anda o livro que esta escrevendo sobre o Mastino Napoletano? A publicação dele será quando?

Muitas pessoas tem curiosidade em saber se o livro será só teórico, ou se você vai procurar contar a história da

raça no Brasil, como os primeiros cães de qualidade importados, como estão os filhos, netos e bisnetos destes cães,

 enfim o livro terá um cunho de resgate da criação nacional?

R- O livro já esta pronto.  Atualmente estou na fase de revisão , que parece estar escrevendo outro.  Estou tentando

lança-lo no próximo ano , mas dependerá da editora e das fotos que ainda devo escolher.

Este livro será um misto de teórico , pratica de criação , etc........  Creio que será um bom livro

  6 -  Muita gente se esquece, que você teve um cão campeão mundial, fale dele.

R- Giunone di Ardea : Um cão muito correto , de movimentação única. Muito mais que só um campeão. Foi o

Mastino que colocou o Brasil no rol dos Campeões Mundiais.  Embora muitos não saibam , ele tornou o Brasil mais

conhecido lá fora.

É um cão que na reprodução corrige todos os defeitos da cadela , mas necessita que a mesma seja típica.

Eu teria um livro para escrever sobre ele , mas vou parar por aqui.  Quem ainda nunca o viu andar , não sabe o que é movimentar-se bem e tipicamente

  7 – Todos sabem que sua criação vai de “vento em popa”, procurando unir tipicidade e principalmente correção,

nos cães, como estão os planos para este ano? Quais cruzamentos pretende fazer? Quais linhas de sangue pretende “misturar”?

R- Este ano pretendo unir duas grandes linhas : Di Ardea x Paduano.  São duas linhas de qualidades fixadas ,

 então tentarei colocar o tipo Molossoide e a cabeça do Paduano na correção e harmonia do Di Ardea.

Pretendo usar um cão novo chamado Mammut , que é filho de Ovídio Del Castellaccio        ( Lothar ) com Cássia

( Artù / Lothar ) , que ainda é um animal jovem , mas já é portador de uma grande expressão.

Acredito que com estes cruzamentos , conseguirei me aproximar de meu tipo ideal.

  8 – O cruzamento no Mastino Napoletano ainda é um tabu, muitos machos não cruzam com facilidade, muitas fêmeas não aceitam os machos, quais conselhos você dá aos criadores para ter em êxito na reprodução dos seus cães?

Inseminação artificial com sêmen congelado é viável? Qual os resultados práticos alcançados?

R- Realmente um dos grandes problemas da raça é a reprodução , mas ainda não existe nada a ser feito , a não ser zelar por uma boa alimentação e contar com uma ajuda Divina , já que infelizmente , o sêmen congelado ainda não

esta completamente viável e seguro.  

9- Quais a principais características físicas e emocionais  que admira no Mastino Napoletano?

R- A principal característica que um Mastino Napoletano é seu tipo primitivo. Um bom Mastino deve ser pré-histórico : grande , pesado , cabeçudo e não ser um bailarino. Quanto as características emocionais , a que mais me admira é sua

 personalidade: Fiel , amigo , totalmente previsível e nobre.

  9- Cite alguns cães nacionais e internacionais que te impressionaram.

Rea – Michelle Palazzo

Mosè – Dionizi

Lothar – Paduano

Sara Della Grotta Azzurra – Di Micco

  10 - Espaço para abordar suas considerações finais, aborde qualquer tema.

R- Agradeço , Guilherme , pelo espaço a mim dedicado. Fica minha colocação a vários criadores para que estudem

 mais a raça , pois a grande maioria dos criadores estão criando sem sequer terem lido o padrão da raça. Participar

 mais de exposições,  de palestras , de seminários , de clubes especializados já é um bom começo.

Um grande abraço.

Enrique  Graziano. 

Enrique, muito grato pela entrevista, você realmente tem muito a nos ensinar e o mais importante você compartilha....

Guilherme Junqueira.

________________________________________________________________________________________________

15/10/2001

Bate Papo Mastinaro

        Vantagens do sistema.
       
        1ª - O Software é totalmente grátis.
        2ª - Poderemos falar em reunião ou particularmente, sobre mastinos com custo de ligação local.
        3ª - O Software é em português.
        4ª - Conversaremos on line, isto é semelhante a transmissão ao vivo, quando você estiver

conectado a Internet, se algum mastinaro se conectar a Internet em qualquer lugar do mundo você

 fica sabendo na hora.

       
        Para baixar Software.

     

        1º - Conecte-se ao site da uol, que é o seguinte http://www.uol.com.br/  .

        2º - Escolha a opção Com Vc, que fica na parte de superior do site da Uol.

        3º - Clique sobre o escrito  de cor azul " Com VC grátis " .

        4º - Siga as instruções da Uol. 

 

        Pronto, você já baixou e instalou o software, agora passe para a parte do cadastro. O cadastro

é muito importante, pois vamos nos localizar por ele !

 

        Cadastramento.

 

        Coloque os seus dados, tais como, apelido, e-mail, senha e confirme sua senha. No campo nome

e sobre nome escreva a palavra mastinaro.

       
_____________________________________________________________________________________

20/11/2001

Guilherme e Sodon  Dell'anima (18 meses).

______________________________________________________________________________________

 

Andorra

       

 

Duran Rei Della Marema

4 meses

 

 

 

 

   

5 meses

 

6 meses

   

8 meses

 

 

 

 

 

   

9 meses

 

 

 

 

 

 

 

 

10 meses

 

 

     

11 meses

 

 

 

 

     

12 meses

 

 

 

 

 

 

     

13 meses

 

 

     

17 meses

 

 

18 meses

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

___________________________________________________________________________________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_

 

 

 
 
 
          

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

____________________________________________________________________________________________