Objetivos na criação



1° - Fazer amizades.

Acho ótima a exposição especializada da raça organizada pela Soman em agosto de cada ano, nela temos a oportunidade de conviver com amigos criadores os quais nos falamos praticamente todos os dias do ano no msn ou pelo telefone e também com aqueles "mais distantes" mas também com os quais quando nos encontramos a troca de experiências é grande. Digo sempre que a reunião em Agosto, nem precisaria de cães só o fato de compartilharmos informações e experiências já valeriam o encontro., Novos criadores na raça, são sempre bem vindos, em qualquer área de vida é preciso renovação, todos que chegam, tem novas idéias, novos planos e isto somados a experiência dos mais antigos, sempre fazem com que aconteça uma grande evolução.

2º - Criação por hoby.

Crio cães por amor aos mesmos e principalmente a mim mesmo, porquê estou fazendo o que gosto, os cães são o meu lazer, é muito gratificante chegar em casa, soltar os mastinos e ficar observando-os, vendo estes pré-históricos brincarem entre eles e com a nossa família. Alguém deve estar se perguntando se cria por hoby, porque vende filhotes? É muito simples, a criação envolve muitos custos diretos, tais como, funcionário(s), alimentação, produtos de limpeza, veterinário, remédios, vacinas, energia, água, etc; custos indiretos, fotos, filmagens em vídeo, revistas caninas, livros especializados, livros de veterinária, etc. Sendo a raça de porte gigante estes custos aumentam muito, sem contar que a reprodução é mais difícil, alguns cães não cruzam por monta natural, e comum a mãe deitar em cima dos filhotes matando-os. Sem falar também na compra dos primeiros exemplares, para o início da criação. Simplesmente a venda dos filhotes tem o objetivo de custear parte destes altos custos, sem os quais seria impossível ter um elevado número de cães. Os cães Mastinos propiciam a segurança da casa e da família, ele um guardião por excelência desde os tempos mais remotos.


3º - O Mastino Napoletano.

Na nossa amada raça, existem muitos tipos diferentes, dentro da mesma raça, a tão sonhada (para alguns) uniformidade ainda esta longe de ser conseguida. Exemplo se um leigo vê um Pastor Alemão na rua, sabe que é um Pastor Alemão, se colocarmos juntos vários cães desta raça, a pessoa saberá que todos são da mesma raça. No Mastino Napoletano isto não acontece, se colocarmos um cão típico, um de pouca tipicidade, 'cães de linhagem antiga no Brasil"com pouco osso e pouca pele (se pareciam com Cane Corsos), cães mais antigos ainda de focinho estreito e comprido, cães de tamanho diferente"são muitas raças dentro de uma mesma raça" ou melhor, muitos tipos dentro de uma mesma raça. Ainda há o grande números de cores, preto, cinza, fulvo, mogno e ainda as variações de cores fechadas ou tigradas.
Cada criador tem um gosto pessoal com relação aos cães, pesados, leves, muito típicos, com pouca tipicidade, cães show (para pista), cães de exclusivamente de guarda, grandes, médios, pequenos, muitos vão dizer "existe o padrão da raça", mas temos muitas diferenças entre cães que estão dentro do padrão (ou padrões) correto(s) da raça.
Meu gosto pessoal é o seguinte gosto de cães grandes e típicos, verdadeiros molossos, porém saudáveis. São poucos os cães que considero "produto final", na criação estamos sempre buscando este produto, ás vezes cruzamos cães que não se enquadram no que queremos, pensando em linhas de sangue, nos pai, avos, bisavós, para tentar atingir o mastino ideal de cada um.

Criação de cães é uma eterna busca, de objetivos, os quais consideramos ideais...