Alimentação


10 Mandamentos para alimentar bem o seu cão


1) Fornecer água suficientemente:

Água potável, fresca e renovada, deverá ser colocada a vontade para o cão, sabendo-se que o seu consumo diário é de 60ml por quilograma de peso corporal, sendo maior a quantidade para cadelas em amamentação e filhotes e em clima quente ou animais em trabalho.

2)Respeitar as necessidades nutricionais:

Toda modificação nutricional deverá ser feita progressivamente no período de uma semana, a fim que o cão se adapte ao novo alimento.

3)Assegurar ao cão refeições regulares:

O cão somente ficará feliz se receber todos os dias à mesma hora, no mesmo local , na mesma vasilha, o mesmo alimento.O numero de refeições deverá estar adaptado ao estado fisiológico do cão, o qual deverá ser pesado regularmente.

4) Controlar as quantidades de alimentos distribuídos:

A quantidade de alimento oferecido, deverá ser calculada em função da necessidade energética diária do cão e do teor calórico dos alimentos,e deverá ser pesada para evitar qualquer problema de obesidade.

5) Distribuir uma dieta equilibrada para o cão:

O alimento deverá conter todos os nutrientes que o cão necessita , ingerido em quantidade satisfatórias e em proporções adaptadas ao seu tamanho(cão pequeno, médio, grande ou gigante) ao seu estado fisiológico ( manutenção,reprodução, esporte), à sua idade (filhote, adulto, maduro, idoso).

6)Escolher bem o alimento do cão:

Deveremos sempre escolher um produto ,onde deverá ser levado em conta a especificidade do animal, de acordo com o momento e estado o qual ele vive.Um conceito sob medida, uma idade, um tamanho,um estado fisiológico=Alimentação adequada para esta etapa.

7)Utilizar o alimento de modo racional:

Devemos seguir as recomendações dos fabricantes, conforme o modo de utilização orientado na embalagem.Sobras de refeições,guloseimas,açúcares,bolo e chocolate não deverão fazer parte da alimentação de um cão.

8) A higiene do cão deve ser satisfatória:

Os alimentos industrializados oferecem as melhores garantias de salubridade higiênica, e quando bem utilizados, não apresentam nenhum risco de intoxicação alimentar. Se o cão não terminar a refeição,os restos deverão ser eliminados e a vasilha limpa diariamente.

9) Controlar os resultados individuais:

A eficácia da distribuição das rações e sua adaptação devem ser controladas baseado em elementos tão simples quanto a evolução de seu peso, a qualidade de seu pelo e de seus excrementos, ou ainda seu apetite e seu comportamento no cotidiano.

10) Não hesite em recorrer ao veterinário:

Por sua formação, o veterinário é também o "nutricionista" do cão tanto na vida cotidiana,quanto em casos de doenças: decorrentes de falta de apetite ou bulimia prolongadas,emagrecimento ou aumento de pesos anormais, diarréias ou constipação persistentes, problemas físicos ou comportamentais preocupantes e para todas as variações notáveis na sede ou no apetite, os quais podem representar sinais precursores de uma doença geral que envolve exames aprofundados.