Diarréias
Elas podem indicar doenças mais graves

Freqüentemente relacionada a problemas com a alimentação, a diarréia é, na realidade, sintomas de vários distúrbios, como Verminoses e Doenças Infecciosas. Saibam quais são os mais comuns e como identificá-los.

Quando o cão está apático, recolhido a um canto, não come e, principalmente, suas fezes estão líquidas ou pastosas, o diagnóstico é simples: diarréia. No entanto, sua causa pode não ser tão simples de identificar à primeira vista. A diarréia é um sintoma e, como tal, indica que alguma coisa vai mau no organismo. É comum que a consideremos apenas como um sinal de intestino solto - provocado - por problemas com a alimentação, porém sua maior incidência é com o sintoma de outras perturbações. Segundo o Dr. Sérgio Petini, médico-veterinário, a maior parte dos cães com diarréias tratados em seu consultório tem doenças infecciosas, mas ele diz que as maiores responsáveis pelas diarréias são as verminoses. Como elas nem sempre provocam a apatia, é comum o dono levar o cão ao veterinário apenas no estágio mais adiantado.

A diarréia é decorrente da irritação mecânica do intestino, provocada por alimentos e por vermes, ou da inflamação, provocada por vírus e bactérias. Em ambos os casos ocorre o aumento do movimento intestinal, que diminui a retenção de água pelo órgão. Toda diarréia não tratada pode levar a desidratação e posterior morte. Mas, se percebida e tratada a tempo, pode ajudar a salvar a vida do cão (acontece que a diarréia, é também, um dos sinalizadores da Parvovirose e de Cinomose), por isso não vacile: leve-o ao veterinário ao primeiro sinal de diarréia. Tratamentos caseiros, como a utilização de antidiarréico sem prescrição médica, geralmente são paliativos e podem levar a conseqüências indesejáveis.
Na verdade, há uma série de problemas de saúde que apresentam a diarréia como sintoma. Veja aqui quais são os mais comuns e como diferenciá-los.

Alimentação

90% dos casos de diarréias por problemas alimentares ocorrem com filhotes. A mudança na alimentação é sua principal causadora, pois no início geralmente não é assimilada pelo organismo do cão; mas, alimentos deteriorados também podem provocá-la. Suas características são fezes líquidas ou pastosas de cor amarelado e cheiro normal, e temperatura normal do cão, sem alteração, entre 38 e 39 graus. A ingestão de fígado em excesso provoca fezes escuras e pastosas, porém é um alimento recomendado. As mudanças na alimentação devem ser realizadas aos poucos, observando-se certos cuidados. O cão alimenta-se basicamente de ração balanceada, arroz carne e legumes. O sal, rico em iodo, é importante para evitar o bócio - hipertrofia da glândula tiróide provocada pela falta de iodo - , porém outros temperos devem ser suprimidos. Carne de porco, embutidos (salsicha e lingüiça) e enlatados também não são aconselhados. Para combater a diarréia de origem alimentar, deve-se suspender a alimentação até os primeiros sinais de melhora, e dar ao animal um protetor hepático e um antidiarréico sem antibiótico, com orientação do veterinário.


Doenças infecciosas

A diarréia é, também, um dos sintomas de doenças infecciosas. O cão com Parvovirose tem fezes líquidas com sangue, vômitos freqüentes e temperatura normal ou pouco acima. A Cinomose e a Hepatite provocam corrimento ocular anterior à diarréia (amarelado e mal cheirosa) e elevação da temperatura a até 41 graus. Já a Leptospirose e a Raiva, quando apresentam diarréias - líquidas e geralmente com sangue - já estão num estado praticamente irreversível, acompanhado de uma série de outros sintomas.

Verminoses

As verminoses atacam principalmente os filhotes, que adquirem vermes redondos, como a Lombriga e o Ancilostoma, ainda no útero da mãe. Entre os adultos, a incidência maior é de vermes chatos, taenia como Dipylidium caninum adquirida através involuntárias de pulgas, e a Echinococus granulosus, comum no interior, onde os animais se alimentavam de vísceras de carneiro. As verminoses provocam fezes escuras, mal cheirosas e não alteram a temperatura do animal; o cão fica magro, barrigudo, e geralmente anêmico. Na maioria dos casos o não tratamento do animal pode levar a fezes com sangue.

Diarréia bacteriana

A diarréia bacteriana é provocada por um distúrbio orgânico, que diminui o nível de acidez e aumenta o número de bactérias existentes em pequena quantidade no organismo do cão. Para tratá-la deve-se dar lactobacilos e, por vezes, um antidiarréico ao cão.