Dentição

 

QUANTIDADES DE DENTES

O cão adulto possui 42 dentes, 20 na mandíbula superior e 22 na mandíbula inferior. Sua distribuição constitui a arcada dentária, diferente da dentição, que é o fenômeno da erupção dos dentes nos diversos estágios da vida.

UTILIZAÇÃO

Os dentes são duros, de aparência óssea e apresentam uma função importante, pois servem para prender, rasgar e triturar os alimentos. Os cães são mamíferos heterodontos, o que quer dizer que eles têm dentes diferenciados para uma utilização específica. Os pré-molares são dentes permanentes enquanto que os incisivos, os caninos e os molares caem.

NOME E IDENTIFICAÇÃO

A formula dentária por hemimandibula é: I 3/3; C 1/1; PM 4/4; M 2/3. Essa formula pode variar de acordo com as raças (face curta ou face longa). Os incisivos, maiores na arcada superior do que na inferior, recebem seus nomes partindo do centro: pinças, médios e cantos. Os caninos têm uma forma cônica, mas são mais finos e delgados no filhote. Os molares e pré-molares recebem o nome de pré-carnívoro, carnívoro e tuberculoso ou pós-carnívoro.

A dentadura pode ser: dentes de leite (decíduos) quando o cão é filhote, dentes permanentes ( na adolescência ou quando adultos) e também cirúrgica em casos de acidentes por implantes ou próteses.

A formula dentária dos dentes do filhote é: I 3/3; C 1/1; M 4/4. Ao nascer o filhote não tem dentes. Ele adquire os dentes de leite a partir do 20º dia. O ritmo de aparecimento é o seguinte (tomando como exemplo um cão de tamanho médio): os caninos no final de três semanas; em seguida os pré-molares: 3PM3, PM4; os cantos: 3-4 semanas; os medianos, tenazes, PM2: 4-6 semanas. O PM1 aparece por volta do 4º mês e permanece até o adulto. Em seguida todos os dentes são substituídos entre o 3º e o 5º meses. Após a reabsorção das raízes os primeiros dentes caem e são substituídos por dentes definitivos. Também ocorre uma recolocação dos molares, dos incisivos e dos caninos aos 4 e 5 meses, M2 inferiores aos 5 meses, M2 superiores e PM aos 5 a 6 meses e os últimos molares aos 6 e 7 meses.
As datas de erupção podem variar em função da raça. A arcada dentária pode apresentar anomalias numéricas. Um aumento é raro, em compensação uma diminuição pode provocar a recusa de confirmação da raça do cão. A ausência de alguns molares é comum, a importância funcional é crescente da frente para trás e o primeiro pré-molar com freqüência esta ausente. Pode-se notar a ausência de um ou dois incisivos, principalmente nas raças pequenas.

ENCAIXE DOS DENTES

As arcadas superiores e inferiores das mandíbulas se encaixam uma na outra e não se deve observar movimento de latéralidade. Os incisivos superiores recobrem parcialmente uma parte dos inferiores. No caso de prognatismo verdadeiro ou inferior, o maxilar inferior excede o superior e o cão é chamado de grignard (prognata inferior). Ao contrário, se os incisivos superiores se projetam para a frente, encontramo-nos na presença de uma prognatismo superior e o cão é bégu (prognata superior). Os dentes têm uma grande importância na determinação da idade. Os incisivos apresentam uma coroa de forma trilobulada que é chamada de flor de lis. Com a idade, o incisivo é primeiro nivelado (desgaste do lobo mediano), depois destruído (desaparecimento dos três lobos). Também se pode determinar a idade a partir de um quadro dentário. Existem ainda as afecções dentárias. O tártaro é uma acumulação de sais de cálcio da saliva na base do dente. Ele provoca periodontite e gengivite. Os dentes amarelos aparecem nos animais idosos e nas vítimas de doenças graves tratadas com antibióticos. A descalcificação por placa deve-se a algumas doenças. As cáries são raras, pois o esmalte é muito duro. As fístulas dentárias são devidas a uma necrose da parede alveolar e provocam abcessos. A persistência de dentes caducos pode prejudicar o desenvolvimento dos dentes e sua substituição.

ERUPÇÃO DOS DENTES

SURGIMENTO DOS DENTES


Alguns criadores, às vezes por falta de informação, começam a se preocupar ao ver que certos dentes ainda não nasceram (Ex: P1, que só nasce aos 4 a 5 meses de idade).


TEMPOS DE ERUPÇÃO DOS DENTES DO CÃO
DENTE
ERUPÇÃO
MUDA
Incisivo 1 (I1)
4 a 5 semanas
4 a 5 meses
Incisivo 2 (I2)
4 a 5 semanas
4 a 5 meses
Incisivo 3 (I3)
4 semanas
4 a 5 meses
Canino (C)
3 a 4 semanas
4 a 5 meses
Pré-molar 1 (P1)
4 a 5 meses
 
Pré-molar 2 (P2)
4 a 5 semanas
5 a 6 meses
Pré-molar 3 (P3)
3 a 4 semanas
5 a 6 meses
Pré-molar 4 (P4)
3 a 4 semanas
5 a 6 meses
Molar 1 (M1)
4 meses
 
Molar 2 (M2)
superior -5 a 6 meses
inferior - 4 1/2 a 5 meses
 
Molar 3 (M3) 6 a 7 meses  
Fonte: SISSON/ GROSSMAN - Anatomia dos Animais Domésticos - Vol. 2, ROBERT GETTY, D.V.M., Ph. D. Guanabara Koogan, 1986.

 

MORDEDURAS

As mordeduras podem ser:

Regular - com todos os incisivos alinhados.
Completa - todos os dentes presentes.
Perfeita - articulação em tesoura, onde, na oclusão, os incisivos superiores ultrapassam os inferiores, até a metade, tocando-os pela frente, com as suas faces internas.

A Mordedura da dentadura pode ser:


Mordedura em tesoura

Mordedura em torquês

Prognatismo ou
prognatismo inferior

Retrognatismo ou
prognatismo superior

 


 

No ar desde
28/08/2000
Rua Alaor Prata, nº 310, bairro Centro, Uberaba - MG, CEP 38.015.010, Brasil (55)
Telefone : (34) 3313 7725 ( a noite ) ou 9198 6666 (cel.)
Email: florenza@netsite.com.br