A Raça- Padrão CFI

OFICIAL CBKC n.º 197a de 11/04/94 FCI n.º 197f DE 19/11/1.991


País de Origem:

Itália

Nome no país de origem:
Mastino Napoletano.

Aparência geral:
De porte grande e conformação de um braquimorfo, cujo comprimento do tronco é maior que a altura na cernelha.

Proporções importantes:
Altura na cernelha: machos de 65 a 73 cm; fêmeas de 60 a 68 cm.(sendo que a medida de 73 cm para machos está errada, valendo os dados do item Talhe)

Comprimento do tronco:
10% maior que a altura na cernelha.

Cabeça:
30% da altura, aproximadamente.

Relação crânio-focinho:
2 por 1.

Comportamento e caráter:
Caráter firme, leal. sem ser mordaz ou agressivo injustificadamente, defensor da propriedades das pessoas assumindo sempre um comportamento vigilante, inteligente, nobre e majestoso.

Região facial:

Cabeça: braquicefálica, massuda, com o crânio largo na altura dos zigomas; seu comprimento total atinge cerca de 30% da altura na cernelha. Pele abundante com rugas e pregas, das quais, partindo do canto distal externo da pálpebra , surge uma prega típica e bem marcada indo até a comissura labial. As linhas superiores do crânio e do focinho são paralelas.

Crânio: largo e achatado, particularmente, entre as orelhas e ligeiramente convexo na região anterior. A arcadas zigomáticas são muito pronunciadas, mas com músculos planos. A largura é maior que 50% do comprimento total da cabeça. As arcadas superciliares são muito desenvolvidas, a sutura metópica é marcada, a apófise occipital apenas marcada.

Dentes: brancos, bem desenvolvidos, regularmente alinhados e numericamente completos. Os incisivos do maxilar tocam com sua face posterior, a face anterior dos incisivos da mandíbula (mordedura em tesoura). Saiba mais

Focinho: muito largo e profundo, seu comprimento corresponde ao da cana nasal, sendo próximo a 33% do comprimento total da cabeça. As faces laterais são paralelas, de maneira que visto de frente, dá ao focinho uma forma, praticamente, quadrada.

Lábios: de pele pesada, espessa e abundante, visto de frente, os lábios superiores formam um "V" invertido. A linha inferior do focinho é formada pelo contorno do lábio superior. Sendo o ponto mais baixo a comissura labial, situada na vertical do canto esterno do olho, com as mucosas visíveis.

Trufa: sobre a mesma linha da cana nasal sem projetar-se além da linha anterior dos lábios; deve ser volumosa com narinas grandes e bem abertas. A pigmentação acompanha a cor da pelagem: preta nos exemplares pretos, escura nos de outras cores e marrom nos de pelagem mogno.

Maxilares: forte, com ossos mandibulares bem robustos e arcadas dentarias perfeitamente encaixadas. A mandíbula deve ser bem larga com incisivos alinhados.

Olhos: de inserção frontal, bem afastados e ligeiramente aprofundados, com contorno das pálpebras tendendo ao redondo. A cor da íris acompanha a cor da pelagem.

Orelhas: em relação do talhe do cão, são pequenas, de formato triangular, inseridas acima das arcadas zigomáticas. Quando inteiras, são achatadas e portadas pendentes e rentes às faces; quando operadas formam um triângulo quase equilátero.

Pescoço:

Forma: de tronco de cone e bem musculado, o perímetro, na metade de seu comprimento, é igual a 80% da altura na cernelha.

Perfil: linha superior levemente arqueada.

Pele:
A linha inferior do pescoço é rica em peles soltas que formam uma barbela dupla, menos abundante, começa logo atrás da mandíbula e termina na metade do comprimento do pescoço.

Tronco:

Tronco: o comprimento do tronco ultrapassa a altura na cernelha em 10%.

Linha Superior: a linha superior do dorso é reta onde a cernelha se apresenta larga, longa e não muito elevada.

Dorso:
L argo de comprimento em torno de 33% da altura na cernelha, a região lombar deve fundir-se harmoniosamente com o dorso, pela musculatura de largura bem desenvolvida. Caixa torácica ampla, com costelas longas e bem arqueadas. O perímetro torácico ultrapassa em 25% a altura na cernelha. (altura+25%)

Garupa:
Larga, robusta e bem musculada. Com angulação em torno de 30o. Comprimento igual a 30% da altura na cernelha. Ancas proeminentes a ponto de alcançar a linha superior do lombo.

Peito:
Largo, amplo com os músculos peitorais bem desenvolvidos. A largura está em ralação direta com a do tórax atingindo os 40% a 45% da altura na cernelha. A ponta do esterno está situada no mesmo nível da ponta do ombro.

Cauda:
Com base larga, grossa na raiz; robusta, adelgando-se ligeiramente, para a ponta. O comprimento atinge o nível dos jarretes. Amputada, a cerca de 66% do seu comprimento, portanto permanece 33%. Em repouso é portada pendente e em cimitarra; em movimento, eleva-se até a horizontal, ou um pouco mais alto do dorso.

Membros anteriores:
Em conjunto, os aprumos vistos de qualquer ângulo são verticais com uma ossatura robusta e bem proporcionada.

Ombros:
De comprimento em torno de 30% da altura na cernelha fazendo um ângulo de 50o a 60o com a horizontal. A musculatura é bem desenvolvida com músculos longos e bem contornados. O ângulo da articulação escápulo-humeral é de 105o a 115o.

Cotovelos:
abundantemente revestidos por uma pele frouxa, trabalhando moderadamente ajustados à parede torácica.

Antebraços:
De comprimento quase igual ao do braço em posição perfeitamente vertical, dotado de uma ossatura robusta e de uma musculatura saca e bem desenvolvida.

Carpo:
Articulado na vertical do antebraço, bem largo, seco e liso.

Metacarpo:
Chato, articulado no prumo do antebraço. Inclinado em torno de 70o a 75o com a horizontal. De comprimento aproximado de 16,5% do comprimento do membro, do solo ao cotovelo.

Pata:
Redonda, volumosa, com os dedos bem arqueados e bem fechados. Almofadas plantares secas, solas duras e bem pigmentadas, unhas fortes, recurvadas e escuras.

Membros posteriores:
No conjunto são robustos e poderosos, cuja proporção assegura a propulsão necessária ao movimento.
Saiba mais - Ergo

Coxa:
Medindo 33% da altura na cernelha fazendo com ângulo em torno de 60o com a horizontal. Larga com músculos grossos e proeminentes, claramente evidenciados. Angulação coxo-femoral é de 90o.

Pernas:
De comprimento um pouco inferior ao da coxa e anguladas de 50o a 55o, dotada de robusta ossatura e musculatura bem modelada.

Joelhos:
Angulação femoro-tibial em torno de 110o a 115o.

Jarretes:
Bem longos em relação às pernas, de comprimento igual a 25% da altura na cernelha; angulação tibio-tarsiana em torno de 140o a 145o.

Metatarso:
Robusto e seco, de forma quase cilíndrica; e perfeitamente a prumo. De comprimento em torno de 25% da altura no cernelha. Ergôs, eventualmente presentes deverão ser amputados.

Pata:
Menor que a dos anteriores, redondas, com dedos fechados. Almofadas plantares secas, duras e pigmentadas. Unhas fortes, recurvadas e escuras.

Movimentação:
Constitui uma das características típicas da raça. A passo é indolente, lento, semelhante ao do urso. O trote é caracterizado por uma forte propulsão dos posteriores e um bom alcance dos anteriores. O Mastim Napolitano raramente galopa. Andadura preferida: passo a trote. O chouto é tolerado.

Pele:
Espessa, abundante e solta em todo o corpo, particularmente, na cabeça onde desenha numerosas pregas ou rugas, e na linha inferior do pescoço, aonde forma barbelas.

Pêlo:
Brilhante, denso; todos de igual comprimento, no máximo 1,5 cm, uniformemente liso e fino. Sem apresentar qualquer início de franja.

Cor:
De preferência cinza, cinza-chumbo e preto, com eventuais pequenas manchas brancas no centro do antepeito e na ponta dos dedos como também, mogno, fulvo, e fulvo avermelhado (cervo). Todas as cores podem ser tigradas. O avelã, cor de rola (rolinha) e isabela.

Talhe:
Altura na cernelha: machos 65 a 75 cm e fêmeas 60 a 68 cm, com uma tolerância de mais ou menos 2 cm.

Peso:
Machos 60 a 70 quilos; fêmeas 50 a 60 quilos.

Faltas:
Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

Faltas que desqualificam para o julgamento: (no exame preliminar): prognatismo pronunciado (inferior); cauda enrolada; altura fora dos limites tolerados.

Desqualificações:


• convergência ou divergência acentuada das linhas crânio e focinho;
• cana nasal côncava ou muito arqueada;
• despigmentação total da trufa;
• despigmentação total da orla das duas pálpebras;
• estrabismo bilateral;
• ausência de rugas, pregas ou barbelas;
• monorquidismo, criptorquidismo;
• anurismo (ausência de cauda), braquiurismo (cauda curta);
• congênito ou adquirido;
• manchas brancas muito extensas;
• manchas brancas na cabe

Nota: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.